iPhone ao volante

 

Um processo nos EUA pretende culpar a Apple pelo fato de não impedir os usuários de ler ou enviar mensagens no iPhone enquanto dirigem.

O processo alega que os iPhones são responsáveis por 52 mil acidentes por ano apenas na Califórnia, resultando em uma média de 312 mortes anuais.

Mesmo assim, é o tipo do processo considerado ridículo, por ser específico contra o iPhone da Apple, e não envolvendo o comportamento do usuário em si, que não deveria fazer isso no dia a dia.

Em partes, o processo também acontece pelo fato da Apple ter pedido uma patente em 2014 relacionada com o bloqueio de funções que podem causar distrações durante a condução de veículos.

Porém, é fácil perceber que tal tecnologia só funciona bem na teoria. Na prática, se o motorista não usa o bom senso, não há tecnologia nesse mundo que resolva o problema.

Poderia ser mais eficaz exigir que, nas aulas de habilitação, que se mostrasse como o uso do smartphone pode afetar a condução, ou adotar penas mais pesadas para quem fosse flagrado fazendo isso.

Do lado dos fabricantes, o lógico seria exigir uma maior agilidade no desenvolvimento dos sistemas de comandos de voz, além de modos simplificados de uso em automóveis, para diminuir as distrações ao volante.

 

Via Apple Insider