Até que enfim, chegou a hora. Hora de testar, mesmo que por breves minutos, o Nokia Lumia 920, a principal aposta da Nokia com Windows Phone 8. Um modelo que chega cheio de recursos diferenciados, que tornam o modelo exclusivo em relação aos seus concorrentes. A pergunta que fica é: será que vale o quanto pesa? Vamos tentar descobrir.

A primeira coisa que observei no Nokia Lumia 920 é a sua pegada. É um modelo bem agradável de se segurar com uma mão ou com as duas mãos, mesmo contando com uma tela de 4.5 polegadas. Por outro lado, compreendo que esse tamanho de tela é considerado “o limite” para uma boa utilização com uma única mão. É claro que isso pode variar, de acordo com o fabricante e o modelo escolhido, mas se você observar bem, os smartphones com telas a partir de 4.8 polegadas podem ficar desajeitados na mão do usuário. Mesmo que esse usuário tenha uma mão gigante.

Outro destaque relevante do smartphone é a sua tela com tecnologia PureMotion HD+, que é mais brilhante que o convencional, mostrando cores mais vivas e traços mais definidos. Isso fica bem claro durante a reprodução de jogos, com imagens de alta qualidade. Conforme fui conversando com executivos e profissionais da Nokia, fui entendendo que o Nokia 920 foi pensado nos consumidores de conteúdo: aqueles que gostam de ver vídeos e rodar jogos no smartphone com qualidade máxima. Vale lembrar que essa tela é uma LCD IPS com resolução de 1280 x 768, e além da alta qualidade visual, é capaz de oferecer uma sensibilidade maior na tela.

Aqui vemos a parte superior do smartphone, com a sua parte traseira contando com uma curva que auxilia na ergonomia do smartphone. Também podemos ver o conector para fones de ouvido.

Visão geral da parte traseira do Lumia 920. E aqui eu me lembro que ele é um smartphone de grandes dimensões. Essa sensação não é algo tão visível quando vi o telefone de frente (até porque a tela com pouca borda ajuda a passar uma sensação de dimensão reduzida), mas quando visto por trás, nos relembramos do seu tamanho real.

Visto pela lateral, ele lembra de forma breve o Nokia N8 (não sei porque isso me veio à cabeça), mas sem as suas curvas acentuadas de design. Sua espessura é boa o suficiente para chamá-lo de “elegante”, sem criar muito volume no bolso da calça. Bom, pelo menos ficou dentro do meu aceitável (se bem que ele poderia ser um pouco mais fino, mas entendo que isso seria muito difícil pelas suas características técnicas).

A Nokia combinou no Lumia 920 a tecnologia PureView (algo que eles se orgulham muito, e deixaram claro na apresentação – falarei mais sobre isso aqui no blog amanhã) e as mundialmente conhecidas lentes Carl Zeiss, uma das melhores do mundo. Conversando com os especialistas treinados para demonstrar os produtos, fiquei sabendo que a parte que protege a lente (onde está escrito “Carl Zeiss” é revestida com cerâmica, para evitar riscos e desgastes. O mesmo procedimento foi adotado com os botões de controle de volume e liga/desliga, nas laterais.

Na parte inferior, temos o conector para cabo de dados.

Mas… e a experiência de uso?

Impecável. Com um hardware do seu porte (processador Snapdragon S4 dual-core de 1.5 GHz, câmera de 8.7 megapixels com PureView e lentes Carl Zeiss, NFC, compatibilidade com redes 4G do Brasil, sensores de acelerômetro, proximidade, luz ambiente, bateria de 2.000 mAh, etc), combinado com um Windows Phone 8 muito liso e fluído, é inegável dizer que o Nokia Lumia 920 é um smartphone com um desempenho excelente.

Aliás, um dos grandes trunfos do Windows Phone é que desde a versão 7.5 ele oferece um desempenho muito agradável. Além disso, a Nokia adicionou como principais diferenciais os seus aplicativos e recursos de software para tornar o sistema ainda mais intuitivo e completo, como Nokia Dirigir, Nokia Here, recursos de localização com o auxílio da realidade virtual e complementos exclusivos, que oferecem um “algo a mais” na experiência de usuário. Isso, sem falar em pequenos elementos que fazem com que o smartphone se destaque junto ao consumidor final, como integração com redes sociais, customização de contatos favoritos e otimização para crianças (evitando assim que o seu filho desconfigure o smartphone por completo).

Tudo muito lindo. O problema é o preço: R$ 1.999,00.

Os próprios executivos da Nokia afirmam que esse é um produto “de elite, premium”. Ou seja, para públicos selecionados. O presidente da Nokia no Brasil, Almir Luiz Narcizo, afirmou durante a coletiva de hoje que o pré-venda do Nokia Lumia 920 foi o maior sucesso da empresa nos últimos 10 anos, esgotando a sua cota inicial de produtos. Porém, o mesmo Almir não revela quantos smartphones foram disponibilizados para venda. Como tudo isso pode ser o tal “marketing para impressionar”, é sempre bom ter um pé atrás com essa informação. Quem sabe quando a Nokia decidir revelar em algum momento esses números. Aí sim, vamos ter uma ideia do quão bem sucedida foi essa pré-venda.

O Nokia Lumia 920 é um ótimo smartphone, mas se colocarmos em paralelo com outros modelos, ele possui alguns pontos que não o torna superior que os seus principais concorrentes na categoria, o que poderia sim indicar um preço menor para o produto. Por exemplo, a ausência de um slot para cartões microSD no modelo. A Nokia possui um argumento válido, que é a presença do SkyDrive, serviço de armazenamento na nuvem da Microsoft (7 GB de armazenamento gratuito). A ideia da Microsoft é que o usuário faça a integração de todo o seu conteúdo em todos os equipamentos disponíveis com sistemas da Microsoft, sem a intervenção de fios. E uma das formas mais práticas disso acontecer é o usuário armazenando tudo isso na nuvem. Logo, pra quê cartões de memória, não é mesmo?

Pois é. mesmo assim, muita gente não vai entender que 32 GB são mais que suficientes para a maioria dos usuários considerados “normais” armazenarem seus dados. Agora, para os hard users, não é suficiente. “Ah, mas o iPhone também só vai até isso”. Mas o iPhone está consolidado no mercado, e não precisa recuperar mercado.

Outro fator é o próprio hardware em si. Para mim (e para muita gente), as especificações do Nokia Lumia 920 são ótimas e suficientes para ter uma vida feliz com ele. Mas vai explicar para o vendedor ou para aquele cliente que acredita que um processador quad-core com Android oferece mais. Por fim, o ecossistema de aplicativos. A Nokia afirmou que tem pouco mais de 125 mil aplicativos para o Windows Phone. É muita coisa, mas se comparado com o universo de mais de 700 mil aplicativos que as plataformas iOS e Android possuem, isso acaba pesando.

Resumindo: eu gostei muito do Nokia Lumia 920. Se você gosta MUITO da Nokia, gosta MUITO do Windows Phone, e não se incomoda de pagar R$ 2 mil no produto, vá em frente. Quem sou eu para dizer “não” para o desejo de alguém. Eu mesmo gostaria de ter um smartphone como esse. Mas não por esse preço. Lembre-se: pagar R$ 2 mil em um smartphone, seja ele qual for, deve ser um investimento de longo prazo. Logo, pense várias vezes antes de tirar o cartão de crédito da carteira.