O segundo modelo com Windows Phone 8 apresentado pela Nokia no Brasil é o Lumia 820, que é o que podemos chamar de “sentado no meio do caminho” entre o 920 e o 620. É um modelo intermediário, pensado naqueles que não querem se comprometer muito no preço com um smartphone com Windows Phone, mas que querem um produto potente e com recursos interessantes.

Para começar, é bom ter em mente que ele é inferior ao Lumia 920, incluindo no seu hardware. Talvez, a diferença seja até grande para o seu valor de mercado (se ele ficasse na faixa de R$ 1.500, seria quase o preço ideal), mas como a Nokia adicionou diferenciais bem interessantes no telefone, essa pequena diferença “para mais” é explicada. Exemplos: assim como o seu irmão maior, ele pode ser recarregado de forma indutiva (sem a intervenção de cabos), além de ser compatível com a maioria dos acessórios de áudio da JBL e da Monster. Por consequência, o modelo conta com tecnologias como NFC e o mesmo processador Snapdragon S4 dual-core de 1.5 GHz. E isso para um modelo considerado de linha média, vem bem a calhar.

Então… o que ele tem de diferente?

O Nokia Lumia 820 possui uma estrutura mais “simples” que o Lumia 920. E coloco o “simples” “entre aspas”, porque mesmo sendo teoricamente mais simples, ele é muito bem construído. Só perde pelo fato do Lumia 920 praticamente ser um produto de construção única, compacto, robusto e seguro. Não que o Lumia 820 seja um produto frágil, mas por contar com capas traseiras intercambiáveis, ele possui um material um pouco mais simples. Só isso.

Outra diferença está na sua tela, que tem 4.3 polegadas e é em AMOLED, com uma resolução de apenas 800 x 480 com Clear Black. O resultado pode não ser visível para a maioria, mas é gritante para quem viu a tela do Lumia 920. Também é compatível com as redes 4G do Brasil, conta com 1 GB de RAM, mas apenas 8 GB de memória interna. Em compensação, possui um slot para cartões microSD de até 64 GB, algo que o Lumia 920 não possui. Mas aqui é até prevista essa adição, uma vez que, na prática, são menos de 8 GB disponíveis para dados de usuário, que podem se esgotar rapidamente. De modo complementar, o usuário ainda conta com 7 GB de armazenamento gratuito via SkyDrive.

O Lumia 820 é menor no seu tamanho, logo, é menor na sua bateria também. Com 1.650 mAh, ele promete uma autonomia de uso de até 8.1 horas (no modo 3G). Também é um pouco mais espesso do que se imagina (ainda mais com uma bateria menor). Mesmo assim, ele ainda é um modelo compacto.

O Nokia Lumia 820 aposta na proposta jovial, despojada e descolada para trocar suas carcaças. Não é nenhum erro apostar nesse segmento de consumidor, uma vez que cada vez mais os usuários querem personalizar os seus dispositivos, ou trazê-los para a sua afinidade, gostos e estilos. Mesmo assim, é preciso tomar cuidado nas comparações. Aqui também é necessário se levar em conta qual é a experiência de uso que você quer. De novo: se você AMA a Nokia e AMA o Windows Phone, e não pode pagar o valor cobrado pelo Lumia 920, essa pode ser uma boa escolha. A relação custo/benefício é boa, principalmente se levarmos em conta que o Ativ S custa R$ 1.999, e possui um hardware semelhante.

Outro ponto a se considerar é que, mesmo com todos os cortes nas especificações técnicas, a experiência de uso do Lumia 820 segue sendo muito boa. Na verdade, excelente. Mais uma vez, afirmo que esse é o grande trunfo do sistema da Microsoft, logo, essa vantagem não pode ser levada em consideração entre os modelos com Windows Phone. O que vai mandar aqui é o que o Windows Phone da Nokia pode te oferecer a mais.

Por outro lado, se compararmos com alguns smartphones Android na mesma faixa de preços, podemos detectar modelos com especificações de hardware similares ou levemente superiores. Não creio em uma diferença muito grande nesse aspecto, o que vai deixar a decisão para a experiência de uso e para o ecossistema de aplicativos. Particularmente, acho que o valor cobrado pelo Lumia 820 (R$ 1.599) é um tanto quanto salgado para aquilo que ele pode oferecer. Porém, acredito que esse valor não vai perdurar por muito tempo no Brasil. É esperado que esse valor se reduza, mas não muito. Mas, se algum dia você encontrar ele por R$ 1.399, ao menos comece a considerar.