Aconteceu hoje (21) em São Paulo o evento de apresentação da plataforma BlackBerry 10 no Brasil. O encontro com jornalistas e blogueiros do segmento de tecnologia aconteceu no escritório da empresa na capital paulista, e contou com a participação de executivos e responsáveis pela estratégia de desenvolvimento e difusão da marca no país. Estive presente no evento, e lá, tive a chance de testar por alguns minutos o BlackBerry Z10, o novo smartphone da empresa. Nesse post, passo minhas impressões sobre o produto, e tudo o que foi dito de mais relevante pelos presentes.

A reunião foi aberta por Adriano Lino, responsável pela área de comunicação e inteligência de mercado na América Latina. O executivo fez um breve histórico da então antes conhecida como Research in Motion, que foi criada em 1984, como uma empresa de engenharia. Com sede em Waterloo, Canadá, a empresa começou a se tornar mais conhecida no meio corporativo e de soluções tecnológicas ao criar o primeiro dispositivo wireless do planeta, e posteriormente, por entrar no mercado de pagers com teclados físicos QWERTY. Mas se tornou mundialmente conhecida com o lançamento do BlackBerry, um smartphone que combinava as funções de telefone com recursos de gerenciamento de dados corporativos. A marca se tornou tão popular, que era inevitável o reforço da mesma, que agora assume o nome oficial da empresa. Mesmo porque BlackBerry se tornou sinônimo de uma categoria específica de smartphone com o passar dos anos.

A BlackBerry acredita que sua nova plataforma ficará presente no mercado por pelo menos 15 anos, pela confiabilidade e inovação que eles propõem na junção de diversas tecnologias de outras empresas (QNX, The Astonishing Tribe, etc). Demian Borba, um “Evangelista BlackBerry”, que é responsável por incentivar os desenvolvedores a escolherem essa plataforma para aumentar a oferta de aplicativos para o sistema operacional, assume a palavra, e afirma que um dos principais motivos para o rápido crescimento da plataforma de aplicativos (eles afirmam ter hoje mais de 90 mil apps disponíveis aos usuários), é a praticidade de adaptação dos apps para outras plataformas: é possível fazer a portabilidade de um aplicativo do Android para o BlackBerry em apenas um minuto.

A ideia do BlackBerry Z10 é oferecer praticidade do usuário, e para isso, ele não conta com botões físicos, e a maioria das suas funções podem ser operadas com apenas uma das mãos. Tudo é renderizado a 60 FPS, para que o sistema seja altamente fluído. Os aplicativos ocupam todos os pixels da tela. Não há comprometimento de área de tela com informações como relógio ou bateria quando um aplicativo é aberto.

Os apps em segundo plano ficam ativos em modo Active Frame. O modo Peek permite que o usuário possa visualizar as principais atividades de e-mails e redes sociais. Caso ele deseja visualizar uma mensagem, ele pode com um simples gesto acessar o BlackBerry Hub, que é a central de mensagens do sistema operacional. O Hub pode ser filtrado da forma que o usuário quiser, além de poder enviar mensagens para todas as plataformas cadastradas. Lembrando que isso está restrito a conversações (mensagens) e não os feeds de usuários que você segue nessas redes.

Outro destaque do BlackBerry 10 é o seu teclado, cujo dicionário pode aumentar de acordo com o comportamento do usuário no teclado. Sua previsibilidade se adapta ao contexto daquilo que o usuário está escrevendo. Além disso, você pode simplesmente jogar as palavras sugeridas pelo próprio teclado com apenas um gesto com o polegar, sem falar que o seu contexto também vale para se adaptar ao idioma escrito e à velocidade que o usuário digita. Esses recursos aumentam de forma considerável a produtividade daqueles que usam muito o smartphone para digitar.

A BlackBerry sugere que o seu navegador é o melhor do mundo para programação em HTML5, e eles usam isso para atrair os programadores para desenvolver aplicativos utilizando esse browser como base. Através dele, é possível compartilhar páginas (tal como todos os aplicativos compatíveis com o recurso), utilizar o modo Reader, priorizando os textos e utilizando as Hubs para atalhos de funções e abas de páginas abertas.

O calendário do BlackBerry 10 é pensado para pessoas com muitos compromissos, como é o caso dos executivos. Além de oferecer uma visualização das informações com uma identificação visual simples, ele pode organizar compromissos, contatos e até e-mails relacionados a um determinado compromisso. Tudo implementado para tornar o grupo de pessoas envolvidas no compromisso conectadas e inteiradas sobre alterações em relação ao compromisso cadastrado.

O BlackBerry Messenger foi remodelado. Ele não só permite a comunicação por texto, mas também por voz e vídeo via 3G, permitindo o compartilhamento de tela. O recurso de câmera tem um sistema que captura alguns frames antes do momento do disparo da foto, para que o usuário possa escolher o melhor momento para a foto final, além de filtros previamente adicionados para incrementar a foto.

Sobre o BlackBerry Z10, que foi o modelo que estava em evidência no evento de hoje (o Q10 também estava presente, mas como só vai chegar ao mercado mais adiante, não foi tão abordado). O BlackBerry Z10 é um smartphone bonito e bem construído. Não mostramos nas fotos, mas tem uma tampa removível traseira relativamente sólida, protegendo bem os componentes internos (slot para cartões de memória, slot micro SIM, bateria, etc). A BlackBerry afirma que o modelo é pensado no usuário “high end”, com necessidades avançadas e profissionais corporativos, mas posso muito bem ver um modelo desses nas mãos de usuários viciados em redes sociais, principalmente pelo fato de contar com um hub integrado para as principais redes sociais e serviços de mensagens instantâneas, além de permitir que muitas coisas sejam feitas em um único gesto.

É um smartphone fino. Mais fino que muitos modelos considerados top no mercado. É um modelo de linhas elegantes, que pode muito bem ser utilizado pelo usuário corporativo, mas que pode chamar a atenção de muitos usuários causais.

Botão de liga/desliga e conector para fones de ouvido, ambos na parte superior do smartphone.

Conector para cabo de dados e conector HDMI. Toda a apresentação do sistema operacional móvel foi feita via HDMI.

O BlackBerry 10 propõe uma divisão completa da vida pessoal e profissional do usuário, a ponto dessas áreas não se comunicarem de forma alguma. Existem áreas destinadas para dados corporativos e pessoais, e os dados corporativos podem ser controlados pela empresa por completo. O gerenciamento das empresas é completo, com gerenciamento e controle de parte do dispositivo, independente da origem desse dispositivo (fornecido pela empresa ou adquirido pelo usuário).

Sua tela possui sensibilidade ao toque de fora a fora, e onde está a logomarca do BlackBerry está o “menu iniciar” do smartphone. Apesar dele não contar com botões físicos, o BlackBerry Z10 utiliza um gesto que parte dessa logomarca para abrir a sua tela inicial e alternar para a tela de aplicativos abertos. Além disso, na parte superior, deslizando de cima para baixo, temos alguns atalhos para funções de rede e configurações, parecido com aquele adotado por alguns smartphones Android.

Mas o grande destaque do smartphone é mesmo o seu sistema operacional. O BlackBerry 10 é muito fluído, e mesmo em uma versão não comercial do smartphone que estava sendo demonstrado no evento, ele parece ser um dos sistemas mais responsivos do mercado. Sem nenhum tipo de lag ou arrasto, com gráficos muito bem definidos, e com uma performance que realmente dá gosto. Pelo menos as primeiras impressões que tive é que a BlackBerry conseguiu fazer um ótimo trabalho no sistema operacional. Se ele vai pegar no mercado, é uma outra história.

Alguns pontos importantes, que sempre interessam ao consumidor:

O BlackBerry Z10 será compatível com as redes 4G brasileiras (2.6), mas estará disponível também nas versões em 3G. O modelo comercializado no Brasil vai contar com NFC e DLNA.

O BlackBerry Z10 já está em processo de homologação na Anatel, e será lançado ainda nesse primeiro semestre de 2013, mas sem data definida. Será lançado na Venezuela em 12 de março, e nas semanas seguintes nos mercados considerados chave para a BlackBerry. Demian afirmou que uma das grandes dificuldades no lançamento de produtos importados no Brasil é a “burocracia” (sem entrar em detalhes).

Aí você pergunta: “porque primeiro na Venezuela”? Por que é o mercado mais forte da BlackBerry na América Latina.

Uma mudança importante: a partir de agora, o BlackBerry poderá ser utilizado com qualquer tipo de rede de operadora. O usuário não será mais obrigado a adquirir um plano BES ou BIS para utilizar a rede de dados no aparelho. Caso ele deseje essa segurança adicional, ele pode adquirir o serviço de forma opcional. Ou seja, qualquer usuário que quiser usar um BlackBerry com um pacote de dados convencional pode utilizar o smartphone sem problemas.

Então, a pergunta chave: quanto vai custar o BlackBerry Z10?

A resposta? Mistério… nenhum executivo quis cravar um preço uma data de lançamento ou qualquer outra informação que tivesse um número exato em relação ao novo smartphone. Tudo é tradado com o maior sigilo do mundo, talvez até por esperar a homologação da Anatel ou até mesmo a resposta de alguns concorrentes que estão lançando seus smartphones antes. O que podemos adiantar (ou o que foi arrancado dos executivos da empresa) é que o BlackBerry Z10, por ser um produto “high end”, terá “um preço compatível com os modelos considerados top de linha no mercado brasileiro”. Traduzindo: algo em torno de R$ 2 mil.