windows-10-port-apps

Kevin Gallo, funcionário da Microsoft, revelou detalhes sobre como será feita a portabilidade dos aplicativos do iOS e Android para o Windows 10. E já sabendo da grande quantidade de malwares existentes no sistema do Google, eles decidiram se precaver e monitorar o software disponível para o Android, para evitar a conversão dessas pragas para o novo sistema.

Porém, essa conversão pode não ser tão potente quanto previsto no começo, e Gallo reconheceu que os aplicativos que contam com uma integração profunda com tarefas e serviços no segundo plano do Android provavelmente terão problemas na execução. Isso acontece porque não existe uma paridade entre as plataformas Windows e Android.

Se o processo de conversão do Android para o Windows 10 tem que melhorar via Project Astoria, a coisa muda muito de figura quando se trata da portabilidade dos aplicativos do iOS. Não foi possível integrar o Continnum na portabilidade, mas é esperado que a integração entre os serviços do iOS e Windows seja muito melhor do que o que acontece hoje com o Android.

Por conta do Project Islandwood, os desenvolvedores tem mais e melhores opções de levar os seus apps do iOS para o Windows 10, e até podem publicá-los nas lojas do Windows 10, o que já é uma grande vantagem em relação à portabilidade a partir do Android.

O objetivo da Microsoft com os projetos Astoria e Islandwood é minimizar os custos de desenvolvimento de aplicativos para o Windows 10, incentivando os desenvolvedores para que programem soluções para o seu futuro sistema operacional.

Via Neowin