Tá, eu sei, você está ansioso, já comprou passagem para os Estados Unidos, ou já subornou aquela sua tia velha e aposentada que mora em Miami para ficar na casa dela alguns dias (ou até mesmo está pagando para a coitada ficar na fila), só para ser um dos primeiros brasileiros a se exibir para os amigos (e inimigos), podendo bater no peito com orgulho e dizer: “sou um dos primeiros a ter o iPhone 5 no Brasil”. Muito bem, bom para você, parabéns. Agora, tenho a obrigação de te dar a última chance de você aquietar o facho, esperar mais um pouco, e ter mais vantagens na sua compra.

Todo geek sonha em ter o mais recente do mundo da tecnologia, e se possível, antes que todo mundo. Isso não é pecado, mas tem um preço a ser pago, e que nem sempre vale a pena você pagar. Na maioria dos casos, é melhor segurar a ansiedade, curtir um pouco a inveja dentro de si, para só depois investir um bom dinheiro em um smartphone que vai ficar com você por, pelo menos, um ano. Esse post tem como objetivo alertar você sobre os riscos que você corre em ser um “early adopter”, e mais especificamente, em comprar um iPhone 5 agora, logo de cara. Para muitos, vai valer a pena esperar mais um pouco o lançamento do modelo no Brasil. Vejamos:

1) Por que essa pressa toda? – você esperou nove meses para nascer, alguns anos para dizer “estou livre do ensino médio”, outros anos para dizer “mando na minha própria vida”, mais outros para o “faculdade, vai para o inferno”, e outros tantos para dizer “finalmente, um iPhone, mesmo que usado”. O smarphone foi anunciado quarta-feira, 12 de setembro. Esperar mais algumas semanas (mesmo que sejam umas oito ou dez semanas) não vai te matar. Ou vai? Bom, não sei…. passemos para o próximo tópico.

2) Os acessórios baratos ainda não estão no mercado – você sabe que, se você comprar o iPhone 5 agora, você vai ter que jogar fora TUDO o que você comprou para o iPhone 4/4S nos últimos dois anos, certo? Tudo bem, você teve que fazer isso quando abandonou o iPhone 3GS para o iPhone 4, mas nesse caso, é diferente. Como o dock Lightining possui incompatibilidades com alguns dispositivos (principalmente docks que enviam sinais de áudio analógico), até mesmo esses caros produtos você vai ter que dar adeus, apenas para ter um novo smartphone. Nesse caso, recomendo que você espere mais um pouco, até que a Apple lance um adaptador compatível com os aparelhos antigos, ou que fabricantes “alternativos” apresentem as suas soluções. Caso contrário, joga tudo no lixo lá de casa, pois ainda vou ficar um bom tempo com o meu velho iPhone, ok?

3) Lembra do “Antennagate”? Nunca se sabe… – ser um “early adopter” tem a sua vantagem de ser um dos primeiros a ter o produto, mas a grande desvantagem de ser um dos primeiros a descobrir os problemas, e principalmente, reclamar deles. Em 2010, muitos se empolgaram com o iPhone 4, e caíram do cavalo quando viram que a Apple errou bonito na disposição da antena do smartphone, e ainda tiveram que ver Steve Jobs dizer, com a maior cara de pau, a frase: “vocês estão segurando o smartphone errado”. É quase certo que a Apple corrigiu isso no iPhone 5, mas é sempre bom lembrar que o novo modelo recebeu um conjunto de modificações técnicas consideráveis em relação ao modelo anterior. E essas alterações, trabalhando em conjunto, aumentam as chances de potenciais problemas de hardware. Logo, vale a pena esperar para ver como esse produto se comporta nas mãos dos usuários, que são os melhores “testadores” de produtos de tecnologia no mundo.

4) Por que essa pressa toda? – parte 2 – ele vai chegar ao Brasil – se você não tem grana para ir aos Estados Unidos, e não é bem relacionado o suficiente para conhecer alguém lá para comprar para você, não se desespere, e comece a guardar dinheiro desde já. Ok, você não vai pagar tão barato assim (e é injusto, eu sei, concordo…) e tem todo aquele lance de impostos e tudo mais. Mas, se você se encaixa no exemplo que citei no começo do parágrafo, a opção que lhe resta é guardar o seu rico dinheirinho para comprar o iPhone 5 aqui no Brasil. Acredite, vale a pena. Eu mesmo estou guardando a grana para comprar o iPhone 4S (usado, é claro), com uma economia considerável.

5) Já que você odiou o design… – …não precisa correr tanto para ter um hardware atualizado, um telefone mais veloz e mais eficiente nas conectividades de rede, certo? Se você acha o iPhone 5 “um iPhone 4S um pouco maior” e nada mais, ignorando as melhorias de desempenho e recursos de redes adicionadas pela Apple, pode viver bem com o seu smartphone atual por mais algum tempo. Até que você se convença que é hora de seguir em frente, a lusitana vai rodar para você, e você nem vai perceber. Aliás, muitos te invejarão justamente pelo fato do mundo ser mais simples para você. Além disso, você vai ter a chance de, quando o seu amigo “early adopter” aparecer com o novo iPhone 5, poder comparar o novo telefone com o seu antigo, analisar o produto, pensar melhor, e tomar uma decisão de forma mais precisa e consciente.

6) Se você economizar, pode comprar o iPhone 5 sem contrato de permanência – eu sei que é difícil economizar em um país como o Brasil. Afinal de contas, tudo é caro nesse país, e nosso salário não dá para quase nada. Mas eu sei que tem gente que pretende comprar o iPhone 5 à vista, e não quer viver preso a nenhum contrato com qualquer operadora. Logo, vale a pena o esforço de deixar de ir ao cinema, de ver um jogo de futebol, reduzir um pouco o pacote da TV por assinatura, e outros pequenos sacrifícios para, quem sabe, pagar o novo iPhone sem se atrelar a nenhum compromisso. No máximo, o seu compromisso seria com o cartão de crédito, e mesmo assim, é uma decisão que você tem que tomar com cuidado. Pague a mais, mas seja um homem (ou mulher) livre!

7) Por que essa pressa toda – parte 3 – o 4G do iPhone 5 não vai funcionar no Brasil (por enquanto)
– já expliquei isso em um post aqui mesmo no TargetHD, mas vou resumir de forma simples: os modelos de iPhone 5 anunciados pela Apple não possuem frequências compatíveis com o projeto do 4G LTE do Brasil. O novo smartphone da Apple possui frequências entre 700 MHz e 2100 MHz, enquanto que o 4G do Brasil (na sua primeira leva) vai operar a 2600 MHz. Culpa da Apple? Não! Culpa do Brasil, que escolhe um padrão que só o país usa. A outra alternativa: usar a rede de 700 MHz… que no momento é utilizada pelas emissoras de TV no sinal analógico, que só vai desligar em 2016 (se não for prorrogado até 2020). Ou seja, você pode ter o iPhone 5 agora, mas só vai funcionar com as redes 3G ou 3.5G (ou 3G+). Se você puder viver bem com isso, vá em frente. Particularmente, não me agrada a hipótese de comprar uma Ferrari para me exibir para os outros, mas ter que andar nas ruas esburacadas do Brasil.

Esses são alguns pontos que devem ser considerados antes da compra. Particularmente, são argumentos suficientes para que EU não compre agora o iPhone 5 (até porque tem o argumento final, que eu não coloquei na lista, porque é só meu: eu não tenho dinheiro para isso agora…), mas acho que a decisão deve ser individual. Não sou eu que vou dizer “faça isso ou faça aquilo” para ninguém. Mas espero que esses pontos te ajudem a fazer uma escolha consciente. A melhor coisa que você pode ter do mundo da tecnologia é realizar uma compra prazerosa, de um produto que complete suas expectativas. E quanto maior o número de elementos você tiver para tomar essa decisão, melhor.