650_1000_regalo-navidad-1

Na semana passada, ficamos sabendo que o último trimestre de 2014 para a Apple foi algo espetacular nas vendas dos iPhones, com 74.6 milhões de unidades vendidas. É um novo recorde. Esse sucesso é devido ao aumento da tela e a qualidade já comprovada desse dispositivo, mas outros aspectos importantes entram nessa equação.

Desde o iPhone 4S, a Apple sistematicamente apresenta os seus novos iPhones em setembro, colocando o dispositivo no mercado nos últimos dias desse mês, ou no começo de outubro (dependendo da região: no Brasil, normalmente o lançamento acontece em dezembro), aproveitando assim a melhor época do ano para as vendas: o Natal.

Por que os demais não repetem esse movimento?

 

Uma Mobile World Congress em setembro?

Um dos principais fatores para essa decisão pode estar no fato da maior parte dos fabricantes precisarem apresentar algo já no primeiro trimestre do ano, durante a Mobile World Congress.

A feira mais importante da mobilidade é a oportunidade onde muitos aproveitam para lançar principalmente os seus smartphones top de linha, que acabam sendo referência entre os usuários e veículos de imprensa, mesmo que esses fabricantes já contem com catálogos numerosos.

A decisão de anunciar esses modelos no primeiro trimestre, e de disponibilizá-los no mercado em abril ou maio não tem muita lógica à princípio, principalmente quando pensamos na maximização das vendas. Seria muito mais apropriado que esses anúncios acontecessem muito mais tarde, mais ou menos no mesmo período em que a Apple apresenta os seus novos iPhones.

Além de estabelecer uma concorrência direta com o mais poderoso adversário, os fabricantes aproveitariam de forma direta o cobiçado período de vendas natalinas, com um novo produto para o consumidor.

 

A obsolescência joga contra

Outro fator que prejudica as vendas natalinas é que o possível interesse despertado durante a Mobile World Congress no anúncio de novos produtos se perde ao longo do ano.

E o motivo é bem simples: já se passou pelo menos seis meses desde os lançamentos da MWC, e no natal, muitos usuários já estão convencidos pelos modelos mais novos, que podem ficar por mais tempo no uso diário. Ou não comprar nenhum produto, preferindo esperar uma nova Mobile World Congress em fevereiro ou março do ano seguinte.

Alguns fabricantes solucionam o problema com lançamentos no terceiro trimestre. O Goolge Nexus 6 foi apresentado em outubro de 2014, enquanto que o Samsung Galaxy Note 4, o Samsung Galaxy Edge e o Sony Xperia Z3 foram apresentados no começo de setembro. E, mesmo assim, isso não pareceu ser o suficiente.

 

Aproveitando os ciclos de vendas naturais

A Apple sabe muito bem o que faz quando apresenta novos iPhones a cada mês de setembro: esse ciclo favorece as vendas natalinas, e faz com que a cada quarto trimestre de cada ano aconteça um salto notável nas vendas desses dispositivos.

Para a Apple, o que interessa é aproveitar o período natalino para ofertar novos dispositivos, que podem se transformar em presentes. Os números mostram que a estratégia está funcionando. Talvez os demais fabricantes deveriam começar a lançar os seus principais produtos na mesma janela do ano, para competir de forma mais agressiva contra a Apple.

#FicaDica Samsung, LG, Motorola, Microsoft…