Por conta de vulnerabilidade Spectre presente nos processadores Intel, engenheiros da Google calculam que a nova versão do Google Chrome vai registrar um aumento no consumo de RAM que varia entre 10% e 13%. Uma péssima notícia.

A vulnerabilidade está relacionada à arquitetura dos processadores, e é tão séria que pode obter qualquer dado do equipamento em questão. Para solucionar via software, é preciso separar os processos do usuário da memória do kernel, o que exige um desempenho maior por conta das técnicas de elevação dos privilégios. Na prática, você perde desempenho, mas os cenários de uso podem variar.

Para corrigir as falhas Meltdown e Spectre, as atuações foram em vários níveis, indo do micro-código dos processadores, passando pelo sistema operacional e chegando aos aplicativos.

 

 

A Google é quem mais tem colaborado para resolver essas vulnerabilidades, e no Chrome 67 apresentou o Site Isolation, que visa proteger o navegador contra os ataques do canal lateral do Spectre.

Infelizmente, a melhora de segurança tem como consequência o aumento do consumo de RAM, com o Site Isolation habilitado para 99% dos usuários Windows, Mac, Linux e Chrome OS, reduzindo de forma significativa a ameaça do Spectre. A solução para o Chrome do Android ainda conta com problemas e precisa de otimização de comportamento.

E a Google coloca ênfase na otimização do Chrome nos últimos anos. Ela conseguiu reduzir o consumo de memória em até 50% entre as versões Chrome 45 e Chrome 55. E, os 13% a mais de agora é por conta de uma questão de segurança. Ou seja, pouco a criticar a Google, apesar de tudo isso representar um problema em equipamentos com 4 GB de RAM ou menos.

 

 

Como reduzir o uso de RAM no Chrome

 

 

Faz tempo que o Chrome deixou de ser um navegador minimalista para se tornar uma plataforma completa de aplicativos. E isso se traduziu em um aumento significativo de recursos, com um grande uso de RAM e CPU.

Se transformar em plataforma de aplicativos permite a execução em segundo plano de recursos de forma permanente, mesmo depois de fechar o Google Chrome, aumentando o consumo de recursos. Se você não precisa disso, vá nas configurações do sistema e desabilite essa opção.

Também revise outros aspectos:

1. Elimine extensões do navegador: acesse Configurações > Extensões, e desabilite ou elimine as extensões que não são necessárias.
2. Elimine as páginas em segundo plano
3. Selecione a execução de plugins: acesse em Configurações
> Privacidade > Configuração de Conteúdo > Complementos e decida quando executar conteúdos de plugins, evitando que os mesmos sejam carregados automaticamente em todas as páginas.
4. Selecione o número de abas abertas: isso consome muitos recursos, a ponto de bloquear a máquina em caso de um hardware pouco potente.

É claro que o Chrome precisa de maior otimização para reduzir o consumo de recursos, mas este é apenas um fator relevante entre tantos outros. Reduzir o consumo de recursos aqui é fundamental para uma melhor experiência de uso do equipamento como um todo.