Não se fala em outra coisa. Quer dizer, se fala também no novo iPhone, mas o que muita gente está querendo saber é se vamos ter mesmo um iPad Mini, ou um iPad com dimensões menores. Os rumores são cada vez mais frequentes, os blogs especializados falam o tempo todo disso, as imagens de pedaços desse suposto iPad aparecem a todo instante, e esse movimento geral em torno do produto faz com que o mesmo seja cada vez mais desejado. E isso vem de alguém que não é lá tão fã da Apple assim.

Então, repito a pergunta do começo do post: por que eu, você e todo mundo que gosta de tecnologia deve querer um iPad Mini? Ou, pelo menos, esperar que ele seja lançado em 12 de setembro. Abaixo, apresento os meus argumentos (pouco convincentes, reconheço… mas são argumentos):

– “menos é mais”, principalmente no mundo do design de tecnologia

Quem já trabalhou com vários tipos de tablets sabe do que estou falando. Utilizar um tablet de 7 polegadas é algo muito mais confortável e prazeroso do que um produto com uma tela de 9.4, 9.7, 10.1, 11 ou 12.8 polegadas. Bom, a diferença é gritante, principalmente se você precisa ficar segurando o produto por muito tempo. O iPad é um tablet ótimo, mas é desconfortável para algumas tarefas em específico, principalmente quando queremos ver vídeos por mais tempo.

Um iPad de 7 polegadas resolveria esse problema, aumentando o conforto do usuário, a portabilidade do produto, e até mesmo a produtividade em momentos específicos, quando precisamos digitar apenas com os polegares na orientação vertical, tal como fazemos com os nossos smartphones. Ok, o iPad no tamanho normal oferece um ótimo tamanho de tela para digitar como se fosse em um teclado normal, mas em situações de mobilidade absoluta (ou quando não temos uma mesa disponível), ele se torna um estorvo.

– o momento é favorável para o tablet de 7 polegadas

Produtos como o Kindle Fire da Amazon e o Nexus 7 do Google não fizeram sucesso apenas porque são baratos. Com modelos de smartphones que ficam “no meio do caminho” entre um smartphone e um tablet, é natural que o consumidor busque produtos com tela um pouco maior, ou que o seu tablet ofereça o comportamento muito próximo ao seu smartphone, tanto nas dimensões quanto no desempenho. A prova disso é que modelos como o Galaxy Note, o Galaxy Nexus, o Motorola Droid RAZR MAXX e smartphones top da LG são sucesso em vários mercados.

Ou seja, a grande aposta do mercado é que a maioria dos usuários vai escolher mesmo o tablet de 7 polegadas como o padrão. Se quiser um produto de tela maior, ou adota um tablet híbrido (com suporte ao teclado físico), ou vai para o ultrabook direto. Repito: mobilidade é uma das palavras-chave no mundo da tecnologia de hoje, e o mercado adotou o “7” como o seu número da sorte em termos de tablets. Logo, a Apple deve fazer o mesmo.

– porque é mais barato, oras!

Agora sim, o fator preço. Um iPad Mini seria mais barato que o iPad tradicional, contando com as mesmas funcionalidades, o que já seria um chamariz e tanto para aqueles que sempre sonharam em segurar o tablet da Apple com apenas uma das mãos. Tudo bem, pode não ser tão barato quanto os seus concorrentes diretos, mas certamente vai ser mais barato para atrair uma boa fatia de mercado. Vale lembrar que, mesmo o iPad sendo mais caro que os seus concorrentes diretos, ele ainda é líder absoluto de mercado, justamente por causa da experiência de uso oferecida. Oferecer um produto mais barato, com dimensões menores, mas com a mesma experiência e usabilidade, pode ser a chave do sucesso da empresa de Cupertino neste novo segmento que está nascendo.

– a briga agora é com o Google

A Apple declarou guerra contra o Google, e se você ainda não sabia disso, está sabendo agora. Empresas como Samsung e Motorola são utilizadas como “intermediários de uma guerra fria” entre as duas potências tecnológicas, onde não só há o interesse de ver o produto da outra fora do mercado, mas também o domínio dentro do valioso mercado de dispositivos móveis. A Apple inicia uma cruzada solitária para enfrentar a empresa que dominou por completo o mercado de sistemas operacionais móveis. Dizer que “o Galaxy S copiou os ícones de girassol do iPhone” não é apenas uma estratégia cretina, mas sim, de visão de futuro. Se “a história colar”, a Apple pode usar a mesma estratégia com todos os dispositivos Android, causando grandes estragos.

Parte dessa estratégia de combate ao Android passa por adentrar em um terreno onde o sistema do Google reina por completo, ou seja, os tablets de 7 polegadas. Ao adentrar nesse mercado, a Apple certamente vai sacudir as estruturas, e a cabeça do consumidor.

– porque todos nós ganhamos com isso

Um iPad Mini seria mais uma opção de consumo. Uma opção competitiva, e com o padrão Apple de qualidade. O consumidor de tecnologia ganha muito com um eventual lançamento de um iPad menor, e não só pela chegada do produto em si, mas principalmente pelo fato dos concorrentes também precisarem se movimentar para oferecer produtos melhores e mais atraentes. Não seria só o fator preço, seria também a experiência de uso, as características técnicas, a qualidade de material, entre outros fatores.

Enfim, esses são os meus argumentos. Setembro vem aí, e em breve, descobriremos a verdade. Mas eu, se fosse você, esperaria por esse iPad Mini de braços abertos. Só temos a ganhar com esse lançamento.