pokemon-go-teaser

 

O Pokémon GO foi o jogo do momento, e por mais que a febre já tenha passado, ainda há milhões de usuários nas ruas atrás dos bichos virtuais. E para jogar, é preciso sair de casa e caminhar. Motivo pelo qual esta foi uma boa ferramenta para deixar as pessoas menos sedentários.

Mas uma coisa é falar. A outra é provar.

Um estudo publicado por Eric Horwitz e sua equipe do Microsoft Research em Redmond, Washington, mostra evidências que o Pokémon GO teve um grande impacto nos níveis de atividade dos norte-americanos, com um aumento de até 25%.

 

 

Como eles mediram esses dados?

 

O time de Horvitz não podia tirar conclusões sem ter acesso aos dados do jogo. por isso, para o estudo, eles usaram a criatividade e obter dados a partir de duas ferramentas da Microsoft: o buscador Bing e a Microsoft Band, pulseira quantificadora.

Graças aos dados da pulseira da Microsoft, foi possível obter os dados de atividade de 30 mil usuários. Para fazer o comparativo, eles averiguaram quem buscou no Bing os 454 termos mais populares relacionados ao Pokémon GO, seja sobre o funcionamento do jogo ou as evoluções, pois supõe-se que quem busca sobre o jogo é quem joga o game.

Dos 25.446 usuários que realizaram buscas relacionadas, 4% (1.420 usuários) realizaram buscas experienciais. A porcentagem é semelhante aos 5,9% dos norte-americanos que se estima que jogam o jogo, mostrando que o método de utilizar o buscador é suficiente para o estudo.

Por fim, foi analisada a atividade de cada jogador 30 dias antes e 30 dias depois do lançamento do jogo, e compararam esses dados com um total de 50 mil usuários aleatórios da Microsoft Band.

 

 

Um aumento de 26% de sua atividade

 

Para obter os resultados, o estudo dividiu os usuários em dois grupos. Um de controle, que caminhava 6.435 passos diários em média, e outro de gamers, que caminhavam uma média de 5.756 passos.

O segundo grupo aumentou em média para 7.229 passos diários, ou 1.473 passos a mais, ou 13% a mais do que o grupo de controle.

Baseado nos dados, o estudo analisou separadamente a atividade dos jogadores que mais buscas realizaram sobre o jogo, os mais ativos e interessados no Pokémon GO. Os resultados mostram que, quanto mais interessados eles estavam no jogo, mais eles caminhavam, já que esse grupo de usuários teve um aumento de 26% em sua atividade.

Os pesquisadores também viram que o aumento aconteceu tanto em homens como em mulheres de todas as idades, e independente do seu peso. Isso é algo que até agora nenhuma outra iniciativa para fazer exercícios conseguiu.

Com estes números, e levando em conta as implicações tão importantes para a saúde que as atividades físicas exercem, a equipe da Microsoft Research calculou que seguir com essa atividade ao longo do tempo faz com que o Pokémon GO pode adicionar até 2,8 milhões de anos adicionais de vida a todos os seus jogadores apenas nos Estados Unidos.

Os números podem variar, principalmente quando a Niantic revelar dados oficiais. Durante o estudo, a atividade de alguns usuários caía depois das primeiras semanas de jogo. Resta agora um estudo mais amplo para conclusões mais precisas.

 

Via MIT Technology Review