criança-jogando-videogame

Uma nova pesquisa da Universidade de Oxford (Reino Unido) mostra que jogar um pouco de videogame por dia pode ajudar no desenvolvimento de crianças entre 10 e 15 anos. O limite ideal, segundo os cientistas, é menos de uma hora diária. Mais do que isso pode ser prejudicial.

O doutor Andrew Przybylski lidera o estudo publicado no portal científico Pediatrics. Foram analisadas as respostas de 5 mil crianças britânicas, onde 75% delas garantem jogar videogames diretamente, além de aspectos psicológicos e sociais, como felicidade, relação com outras crianças, capacidade de atenção, e outros.

Nos resultados, as crianças que garantiram jogar menos de uma hora por dia apresentaram melhores níveis de interação social positiva, menos problemas emocionais, e menor hiperatividade. Aqueles que jogam mais de três horas por dia eram os menos adaptados socialmente.

Segundo Przybylski, uma possível explicação para os resultados é que jogar videogames é algo normal entre as crianças, por oferecer uma linguagem comum para interação, diante daqueles que não jogam e podem se sentir livres para interagir com outras pessoas e elementos do seu meio.

Apesar dos resultados, o estudo indica que as relações familiares conseguem ter um maior efeito sobre o comportamento da criança. Ou seja, jogar videogames meia hora por dia pode ser benéfico, mas no final das contas, tudo depende do meio familiar para que os resultados positivos apareçam.

De qualquer forma, o debate segue aberto: diversos pesquisadores e psicólogos afirmam que jogos violentos podem afetar de forma negativa a capacidade cognitiva das crianças no seu desenvolvimento. Já outros afirmam que jogaram Call of Duty a vida toda, e nem por isso saíram atirando em todo mundo por aí.

Via BBC