privacidadtransparenciamicrosoft

A repercussão diante das últimas posturas da NSA não param de causar reflexos, e tem mais uma vez a Microsoft como protagonista. A gigante de Redmond quis tranquilizar os usuários de seus produtos e serviços, informando que todos eles cumprem com todas as garantias de segurança de dados. E foram além, anunciando “medidas imediatas e coordenadas” contra os curiosos e bisbilhoteiros.

Brad Smith, conselheiro geral e vice-presidente executivo da empresa, informa em um artigo recém publicado no site da Microsoft que a empresa vai estender o uso dos seus recursos de codificação para todos os conteúdos que transitam entre os servidores da Microsoft e os computadores dos seus clientes, incluindo os seus centros de dados e/ou a informação armazenada em seus servidores. A data estimada para que as medidas entrem em vigor por completo é para o final de 2014.

A Microsoft quis deixar bem claro qual é a sua política de ação no caso de alguma ordem judicial obrigar a empresa a revelar informações, e se compromete a notificar previamente empresas e governos envolvidos no processo.

Por fim, mas não menos importante, a Microsoft segue com o programa que oferece acesso aos governos do seu código fonte, para que eles se assegurem que não existem brechas técnicas para vazamento de dados. Segundo informa a Reuters, com esse novo pacote de medidas de segurança, a Microsoft se coloca no mesmo nível que Google, Yahoo e Amazon, tornando os seus dados trafegados mais seguros (pelo menos, por enquanto).

Via Microsoft, Reuters, New York Times