Phil Spencer_2

Esse da foto acima é Phil Spencer, o novo responsável pela divisão do Xbox dentro da Microsoft. E, acreditem: ele é uma escolha que os gamers devem comemorar. Afinal, antes ele do que Stephen Elop, que já havia dito que, se fosse CEO da gigante de Redmond, acabaria com essa divisão rapidamente. Pois bem, Spencer pensa bem diferente do ex-CEO da Nokia.

Para Spencer, as coisas são bem claras: o que realmente importa no Xbox (One, 360, etc) são os jogos. A seguir, palavras do próprio:

Este ano que passou (2013) foi uma experiência de crescimento pessoal e para todos na equipe do Xbox. Recebemos impressões, melhorando nossos produtos e renovando nossa atenção para aquilo que realmente importa: nosso cliente. Nossa missão é criar o melhor produto do mundo, trabalhar duro para cumprir as elevadas expectativas de uma base de fãs apaixonada, criar os melhores jogos e dirigir a inovação técnica. Esta renovação do nosso foco e nossa missão será parte fundamental sobre como dirigirei o programa Xbox.

Ou seja, Spencer já lançou as suas cartas na mesa.

As suas novas responsabilidades são numerosas e importantes. De acordo com uma recente entrevista dada para o Engadget, Spencer vai dirigir o seu departamento “com ênfase nos jogos, garantindo que esse é o nosso caminho, a Estrela Polar da organização”.

Spencer começou a sua vida na Microsoft trabalhando com a (hoje risível) Enciclopédia Encarta, mas a sua mente sempre esteve no mundo dos videogames, principalmente depois que ele foi nomeado chefe da Microsoft Studios, onde supervisionou o desenvolvimento interno dos videogames da empresa. “Ganhar o consumidor será algo que vai impulsionar essa divisão”, uma autêntica meta que se alinha ao objetivo de reduzir a distância em relação à Sony. Mas é bem mais do que isso.

Pelo visto, existe vida além do Xbox One. Além de supervisionar o desenvolvimento de jogos para essa plataforma e a relação da Microsoft com os estúdios que trabalham (ou que querem trabalhar) com o console, Spencer vai controlar todo o ecossistema de software e dispositivos pertencentes à família Xbox, incluindo o Xbox 360 (que ainda tem lenha para queimar), mas também serviços como Xbox Live, Xbox Music, Xbox Video e, obviamente, o Microsoft Studios.

É uma responsabilidade enorme para uma única pessoa, mas acima de tudo, é uma missão que necessita ter o reconhecimento da própria Microsoft para ser bem sucedida. Por esse motivo, Spencer lutou para que sua divisão tenha o mesmo protagonismo na Microsoft que a divisão do Windows ou de dispositivos. “Que a equipe do Xbox, o líder da divisão do Xbox (eu) esteja sentado na mesma junta diretiva que Terry (chefe da divisão do Windows e do Windows Phone) nos ajuda a colocar os videogames em primeiro plano em todas as plataformas da Microsoft”.

Ainda que Spencer seja um dos executivos mais experientes da Microsoft dentro da divisão do Xbox, vai demorar um pouco para que o seu trabalho comece a render frutos. Uma reestruturação desse calibre não é algo que pode ser feito da noite para o dia, mas muito provavelmente podemos começar a conhecer as mudanças de atitude e visão geral impulsionadas por Spencer já na E3 2014, que acontece em junho.

Em resumo: fãs do Xbox, comemorem. O futuro dos videogames na Microsoft parece ser muito promissor.