phil-schiller-iphone-5

Se existe uma coisa que você não pode dizer sobre Phil Schiller é que ele não veste a camisa. Ao contrário: ataca a concorrência sem pensar duas vezes. Faltando menos de 24 horas do lançamento que pode fazer com que as ações da Apple percam mais alguns dígitos na NASDAQ (Samsung Galaxy S IV), o executivo da Apple lançou mais algumas críticas ao sistema operacional Android.

Schiller começa o seu arsenal de declarações ao Wall Street Journal criticando diretamente o principal rival, afirmando que os smartphones muito populares da Samsung com Android são nitidamente inferiores ao iPhone. E prova isso com alguns números. O executivo cita uma pesquisa que mostra que entre os usuários do iPhone, o número daqueles que foram para o smartphone da Apple depois de usarem um dispositivo com Android é quatro vezes maior do que os usuário do iPhone que abandonaram o dispositivo para adotar o Android.

Tal declaração conflita com o fato que o Android tem uma cota de mercado cada vez maior, onde todos os demais concorrentes do mercado estão perdendo terreno. Incluindo o iPhone. O IDC contradiz Schiller, uma vez que a última análise de mercado mostra que o iPhone (em todas as suas versões) possui 19% de mercado, enquanto que o sistema Android (com todos os fabricantes combinados) detém 70% do mercado de smartphones. Aliás, a mesma IDC prevê que, em 2013, as vendas de tablets com o sistema operacional do Google devem superar as vendas do iPad pela primeira vez.

Por outro lado, Schiller não se deixa influenciar por esses números, e afirma que o marketshare não é o único fator a ser analisado no mercado. “Eu não tenho certeza se as estimativas podem dar uma imagem precisa de tudo o que vai acontecer no mercado no futuro”, afirma o executivo.

Ele também alerta como ponto negativo do Android o fator segurança. Ele cita a mensagem que enviou no Twitter no dia 7 de março para a Mobile Threat Report da F-Secure, que é responsável por analisar os malwares e problemas de segurança do Android. Schiller aconselhou aos usuários do Android deixem arquivos e informações seguras fora do smartphone, e reforça que os usuários do iPhone estão plenamente satisfeitos com os seus dispositivos nesse aspecto.

Tais declarações de Schiller tem a sua razão de serem feitas nesse momento. Primeiro, ele está defendendo a causa da Apple. Segundo, faz parte da tática de tentar ofuscar o lançamento do smartphone top de linha do seu principal concorrente. Terceiro? Medo. Van Baker, analista do Garnter, lembra muito bem: “o Galaxy S III já é um concorrente muito forte, e o Galaxy S IV vai naturalmente oferecer mais características relevantes aos usuários”. De novo: Schiller (e a Apple como um todo) precisam falar menos e trabalhar mais. Dependendo do que a Samsung mostrar hoje a noite, a curva de transição da supremacia do mundo mobile vai se acentuar ainda mais.