robôs

Um grupo de pesquisadores alemães trabalha em sistemas que permitem que os robôs possam chegar a sentir dor, fazendo com que a inteligência artificial reconheça situações perigosas, atuando para evitar potenciais danos.

A dor tem um papel essencial na capacidade de sobrevivência do ser humano, já que não apenas nos ajuda a identificar e evitar situações de perigo, mas permite também ter a consciência de nossa própria fragilidade e dos limites para evitar lesões graves ou até mesmo a morte. Pode parecer um exagero, mas os doentes dom anagelsia congênita, um transtorno onde determinadas pessoas não podem sentir dor, não pensam dessa forma.

A percepção dador permite identificar quando a água está muito quente, quando uma articulação está lesionada, ou perceber se algo não está bem no seu corpo. Sem a dor, você não é capaz de identificar nada disso, e fica sujeito às consequências das mais diversas espécies.

O vídeo no final do post mostra melhor o conceito da pesquisa. O robô experimental é capaz de reconhecer e classificar diferentes tipos de dor em função da intensidade das mesmas, oferecendo uma resposta diferente para cada uma delas. Por exemplo, em caso de áreas onde o calor é intenso, o robô pode identificar esse perigo, e evitar que os humanos fiquem ali.

Fazendo com que os robôs possam sentir dor, melhoraríamos a sua humanização e capacidade de sobrevivência.

 

Via Spectrum.ieee