image88

Usabilidade é uma das palavras mais importantes do universo dos sistemas operacionais móveis. Em muitos casos, esse é o fator decisivo para a escolha final de um determinado dispositivo, e pode pavimentar todo um caminho de sucesso para um fabricante. Para muitos de nós, trabalhar com sistemas operacionais com interfaces diferentes é algo comum e até necessário. Mas para a maioria, não é. Logo, é sempre preciso saber o quão fácil é para os usuários em trabalhar com um determinado sistema móvel?

Uma pesquisa conduzida pela Pfeiffer Consulting responde essa pergunta em partes. Ao consultar diferentes usuários sobre a usabilidade dos seus dispositivos, e o seu índice de satisfação com esses sistemas, temos confirmada uma verdade que vem sendo propagada a algum tempo: o iOS continua a ter a melhor e mais eficiente usabilidade entre os principais sistemas operacionais móveis.

O iOS 7, mesmo com poucos dias de disponibilidade para o grande público, já possui um índice de satisfação de 73%, segundo é claro os dados da pesquisa. Na sequência, o iOS 6 ainda mantém ótimos 70% de aprovação na usabilidade.

Um dado curioso está na terceira posição. O “Android da Sasmsung” possui 57% de aprovação na sua usabilidade, o que prova duas coisas. A primeira, e a mais óbvia, é que isso acontece porque, de forma clara, a Samsung é a maior vendedora de smartphones Android do mercado. A segunda é que, por causa da fragmentação (e por ser um sistema aberto e livre para modificações das mais diversas), algumas pessoas (pelo visto, muitas) associam os sistemas da fabricante em questão (ou das suas interfaces de usuário), ao sistema operacional em si, e não como um sistema universal. É algo, no mínimo, interessante de ser observado.

Por fim, o Windows Phone 8 foi considerado o menos funcional na sua usabilidade, com apenas 47%, ficando atrás inclusive da BlackBerry, que ficou com 56%. Para o instituto que fez a análise, o Windows Phone 8 ainda é definido como “desafiador”, e alguns usuários podem ficar perdidos com a rigidez de sua interface, que não permite muitas customizações, além do fato do sistema da Microsoft não contar com a mesma quantidade de aplicativos que os usuários desejam.

Via Ubergizmo