perseus

Todo mundo sabe como é difícil assistir vídeos através das redes 3G ou 4G. Se hoje em Full HD a tarefa é complicada, imagine quando os vídeos 4K se popularizarem? Pois bem, a empresa V-Nova quer facilitar essa missão, com a ajuda do Perseus, um revolucionário sistema de compressão de dados.

O Perseus promete ‘redefinir as regras de compressão’, obtendo taxas de eficiência entre 2 a 3 vezes melhores que os codecs atuais, incluindo o recém chegado H.265/HEVC. Ou seja, seria possível transmitir vídeos em UHD com taxas similares ao dos vídeos Full HD atuais, ou os vídeos em Full HD com taxas de 720p, vídeos em HD com menos de 1 Mbps, e os vídeos SD com as taxas atuais de músicas em streaming (menos de 320 Kbps).

Para isso eles usam um sistema que se ajusta ao modo de visualização do usuário, mas sem entrar em detalhes. O vídeo de demonstração revela que eles se centram em eliminar detalhes onde há menos na imagem, mas mantendo as zonas onde há mais detalhes (algo que, de certo modo, os algoritmo atuais já fazem).

O Perseus tem como vantagem adicional o consumo de 35% a menos de potência do processador, o que resulta em uma economia considerável de bateria na gravação ou reprodução de vídeos.

Grandes empresas do setor (incluindo a Intel) estão interessadas em apoiar o Perseus. O sistema de compressão em si já está pronto, mas ainda faltam vários anos para se disseminar entre os fabricantes móveis, de outros produtos de tecnologia doméstica e serviços de vídeo online. Isso é, se esses segmentos não lançarem as suas próprias versões da solução.

Via V-Nova