A tecnologia avança com sua velocidade de sempre, e grande parte deste avanço se dá por causa da integração de componentes. Com a redução do número de peças internas, somado aos novos tamanhos dos componentes integrados, podemos chegar a componentes bem pequenos, que automaticamente se refletem em dispositivos menores e mais finos, que oferecem as mesmas funcionalidades que os produtos de dimensões maiores.

Um exemplo claro desta evolução de componentes é o novo sintonizador de TV da Sony, que tal como o produto proposto pela Sharp, reduz suas dimensões ao ponto que o próprio conector da antena seja até maior do que o restante do conjunto. No caso, estes sintonizadores de silício pode chegar a até 40 versões diferentes, com a novidade de ter um consumo de energia de 40% a menos do que os sintonizadores atuais. Agora, resta saber se estes dispositivos diminutos são tão eficientes no quesito recepção de imagens.

Fonte