A Apricom é especialista na arte de fazer a gente acreditar que nossos dados pessoas são tão importantes, a ponto de que alguém vai querer roubá-los e cobrar resgate por eles. Por isso, eles tem a teoria de que podem cobrar pelo privilégio de proteger nossas informações. Sua nova linha Aegis Bio se ampliou, tanto em número de modelos quanto em capacidade, já que o limite máximo de armazenamento antes era de 250 GB. Agora, temos modelos de 320, 500 e até 640 GB.

Estes discos externos de 2,5″ identificam o usuário através da leitura de digitais, com um leitor digital localizado na parte superior do produto. Ele conta com um sistema de criptografia de 128 bits para proteger desde suas fotos adultas da Larissa Riquelme, até aquele curriculum vitae que você fez no Windows 95, no Word 97. Os preços deste hd com proteção pelo seu dedão não passa de US$ 160, que é o valor do modelo mais caro.

Fonte