A Samsung pode ter perdido para a Apple nos tribunais norte-americanos, precisando pagar mais de US$ 1 bilhão em multas para a empresa de Cupertino. Porém, tudo indica que a fabricante sul-coreana vai pagar essa quantia com os lucros que o seu principal smartphone, o Galaxy S III está gerando. Segundo dados da empresa Localytics, a demanda do smartphone da Samsung não diminuiu, mesmo com todas as acusações de plágio, cópias e derivados.

A Localytics faz a análise dos tipos de smartphones que acessam a sua plataforma de análise mobile, e durante a primeira semana de agosto, eles detectaram que houve um aumento de 9% no uso de novos dispositivos Galaxy S III no mercado. Mais do que isso: durante a semana do anúncio do veredito favorável para a Apple, o aumento de vendas do smartphone da Samsung foi de 15%, e na semana do lançamento do iPhone 5, esse aumento registrado foi de 15%.

Os números soam como algo, no mínimo, irônico. Enquanto a Samsung recebeu a mais dura derrota para a sua principal concorrente, o seu principal smartphone registra um aumento de vendas, o que significa que o fato de acusar uma outra empresa de copiar a sua tecnologia não faz diferença alguma para o usuário final. Eu já imaginava que isso acontecia, mas os números mostram que, para a maioria, o que realmente importa é que o produto seja de boa qualidade, e que funcione de acordo com as suas necessidades.

A Localytics tem uma interessante teoria para explicar esse aumento das vendas do Galaxy S III. Com todo o barulho causado pela “guerra de patentes”, a Apple, de forma indireta, “promoveu” os produtos da Samsung para o grande público, que por motivos diversos não prestavam a devida atenção para os seus smartphones. Além disso, ao reforçar as similaridades dos telefones da Samsung com o iPhone, a gigante de Cupertino despertou a esses mesmos consumidores um detalhe que vem sendo preponderante para muitos em uma decisão final:

“É parecido com o iPhone, faz a mesma coisa que um iPhone, mas é bem mais barato. Logo…”

Não me entendam mal. Essa é uma teoria desenvolvida pela empresa que faz essa análise de mercado, e tem lá o seu fundo de verdade. Conheço muitas pessoas que optaram por um smartphone da Samsung porque, na hora de comprar, pensou na frase acima. Os dois produtos são ótimos, excelentes e funcionais, mas o fator preço ainda é preponderante para a maioria dos usuários, e isso, em qualquer lugar do planeta.

Os usuários da Apple vão argumentar sobre a “experiência de uso única”, e eles estão com a razão. Só que tem um detalhe: para quem nunca mexeu com um smartphone na vida, hoje, isso não vai fazer mais muita diferença, pois o Android atingiu um ponto de maturidade tão grande, que a sua curva de aprendizado caiu drasticamente, e a sua variedade de possibilidades podem tornar o seu uso para os novatos algo igualmente prazeroso. Logo, o diferencial principal para esse grupo passa a ser o preço.

De novo: minha opinião é baseada nos novatos, ok? Os experientes já sabem o que querem. E a prova do que eu estou falando está nesse dado: mais de 1 milhão de dispositivos Android são ativados por dia. Simples assim.

Aliás, vale a pena registrar que, se pensarmos no iPhone 5, a imagem do Galaxy S III foi até melhorada, graças aos pequenos problemas que apareceram no novo smartphone da Apple. E eis o mercado de tecnologia aprontando mais uma das suas. Pensem nisso, advogados da Apple: malhar muito o seu inimigo pode fazer com que as pessoas gostem ainda mais dele.