vivo-logo-w782

Em conversa com analistas de mercado, o CEO da Telefônica/Vivo, Amos Genish, dá a entender que vão insistir nos planos de estabelecer franquias de banda larga fixa, apesar da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) proibir qualquer tipo de limitação no consumo de internet por tempo indeterminado.

O executivo elogiou a postura da Anatel em assumir a postura de debate sobre a questão, mas espera que o assunto tenha um desfecho ainda em 2016. Para Genish, a legislação brasileira permite a adoção da franquia na banda larga fixa, mesmo com críticos da medida afirmando o contrário, e alega que as regras poderiam ser mais claras, com os tipos de planos e pacotes que poderão ter limites de dados.

“Por exemplo, para usuários low end, deveria ter limite? São várias questões que o debate vai esclarecer. E tenho certeza que as operadoras serão sensíveis. O consumo de banda está crescendo e as operadoras percebem que seria melhor para todos ter ofertas diferentes conforme o uso”, disse o executivo.

Genish, apesar de ser otimista sobre a discussão inclusive dos impostos cobrados sobre a banda larga e os planos do governo de expandir a internet no Brasil, joga a bola para o governo federal, entendendo que este precisa cumprir o seu plano de universalização da banda larga, alegando que a competição na internet fixa é diferente do que temos na internet móvel. Alega também que a falta de transmissão e backnbones torna alguns setores pouco atraentes, e que o valor pago por um consumidor não compensa aquele pago por outro, onde as franquias de banda poderiam ajudar a equilibrar as coisas nesse aspecto.

De qualquer forma, o que Genish deixa implícito é que a posição da Telefônica/Vivo é que, apesar de todo o barulho feito pelos internautas e especialistas nas áreas de direito digital e tecnologia de informação, a empresa segue com sua filosofia de estabelecer franquias de consumo de internet banda larga fixa, indo na contramão da expansão da internet que o próprio Genish chega a citar em dado momento da conversa.

Ficaremos de olho nos próximos acontecimentos.

Via Telesintese