Será mesmo possível ficar mais perto de Deus seguindo o Papa Bento XVI no Twitter? Não sabemos a resposta dessa pergunta. A única coisa que sabemos é que a conta @pontifex já se tornou uma das mais seguidas da história do microblog em um intervalo de 24 horas. A conta oficial do pontífice possui quase 400 mil seguidores, e se somarmos as contas regionais (com sete línguas diferentes, onde as atualizações da conta principal serão reproduzidas), Bento XVI já possui mais de meio milhão de seguidores.

A iniciativa da chegada do Papa ao Twitter é mais um esforço de trazer os usuários mais jovens e conectados para a Igreja Católica e/ou para a palavra de Deus. Bento XVI, apesar de ser conservador em questões mais sensíveis da nossa sociedade, se mostra ao menos aberto ao uso de suas tecnologias. Não faz muito tempo que o seu site foi adaptado para o iPad, o que incentivou o pontífice a utilizar um tablet da Apple, que foi especialmente customizado para o líder máximo do Catolicismo.

Agora, toda uma propaganda é feita em torno de outro momento importante na vida conectada de Bento XVI: o seu primeiro tweet, feito dos seus próprios punhos (ou dedos, dependendo do dispositivo a ser utilizado). Isso vai acontecer no dia 12 de dezembro, e o Papa já informou que essa conta será pessoal, e tem como principal objetivo transmitir a mensagem católica aos milhões de usuários no Twitter ao redor do planeta.

Para ampliar o alcance de suas mensagens, foram criadas outras sete contas regionais, que transmitirão as atualizações do Papa no Twitter em espanhol (@pontifex_es), italiano (@pontifex_it), português (@pontifex_pt), francês (@pontifex_fr), alemão (@pontifex_de), polonês (@pontifex_pl) e árabe (@pontifex_ar).

Detalhe: e esse volume todo de seguidores, sem o Papa Bento XVI enviar uma mensagem sequer, nem mesmo via assessoria de imprensa do Vaticano.