torrents conteudo digital

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos se apoderou de sete dos domínios do Kickass Torrents, ao mesmo tempo em que na Polônia era preso o criador do site, Artem Valuin. Os norte-americanos exigem a extradição do acusado por infrações de direitos autorais e lavagem de dinheiro.

Se somado à isso pensarmos que o The Pirate Bay está em meio gás desde que voltou ao ar em fevereiro de 2015, o cenário de páginas de torrents sofreu uma sensível mudança. Os protagonistas mudaram, porém, as fontes se multiplicam, mostrando que essa é uma oportunidade de ouro para outros sites aparecerem, assim como outros sistemas de trocas de arquivos digitais.

 

Rei morto, rei posto

the pirate bay

Não há informações se as autoridades conseguiram ter acesso aos servidores do Kickass Torrents, e isso pode abrir as portas para um retorno oficial, apesar dos clones do site que já apareceram na internet. É preciso ver se funcionários e colaboradores estão dispostos a ressuscitar o KAT, e enfrentar as consequências disso.

Fato é que agora as diversas alternativas disponíveis devem aproveitar o momento para assumir o posto de líder. Sem o KAT, o mais lógico seria que o The Pirate Bay fosse o primeiro candidato a recuperar seu trono. Mas eles precisam apertar o passo e voltar a ser o que eram.

Duas páginas que podem se beneficiar do momento são a ExtraTorrent e a Torrentz. A primeira é uma das comunidades torrent mais ativas da rede, e conta ao seu favor com o fato de ser o lar de importantes grupos que abastecem arquivos, como ETTV e ETRG. A segunda é um dos motores de busca mais importantes do BitTorrent, e que conta ao seu favor com o fato de não alojar nenhum arquivo em seus buscadores, redirecionando os links para outros sites.

Também existem outras opções menos conhecidas que buscam o seu lugar ao sol, como por exemplo TorrentDownloads, 1337x, aRGENTeaM, e LimeTorrents. Levando em conta que existem clientes torrents com buscadores próprios, também é provável que alguns usuários migrem para eles, para não depender de índices nem de páginas de downloads.

Por fim, também temos que mencionar que essa pode ser uma ótima oportunidade para que alternativas pagas como Spotify e Netflix capitalizem com os amantes do mundo do entretenimento. Mesmo assim, essas plataformas não contam com todo o conteúdo que podemos acessar via Torrent, sem falar naqueles que podem ser distribuídos gratuitamente pelos seus criadores, mas não parece provável que serão muitos os que abandonarão em definitivo os torrents.

 

Não se esqueçam do eMule e dos downloads diretos

megaupload kim dotcom

Esse momento também pode fazer com que os usuários busquem outras tecnologias. Os dois principais aspirantes ao protagonismo nesse sentido seriam o eMule e os downloads diretos.

O eMule foi o principal expoente do protocolo eDonkey 2000, e apesar de hoje ficar à sombra dos torrents, pode voltar a ter destaque com o momento atual. Principalmente por ter implementado nos últimos anos a possibilidade de baixar arquivos via torrent através do seu software.

Foi depois do fechamento do Megaupload e da perseguição à outras páginas de download direto que os torrents renasceram. E o golpe ao Kickass Torrents pode beneficiar Kim Dotcom, justo no momento que ele promove a volta do seu antigo site, o que pode fazer com que os sites de downloads diretos recebam os olhos do público como antes.

Mas a verdade é uma só: o fechamento do Kickass Torrents não vai resolver nada. O único impacto imediato é a redução do tráfico P2P. As alternativas para download de conteúdo existem aos montes.

E só se multiplicam.

Uma Hidra: corta uma cabeça, nasce outras quatro

clones kickass torrents

O Kickass Torrents Mirror veio das mãos do isoHunt, que aproveitou parte da base de dados do KAT. Mas este não é o único. Toda uma comunidade de usuários que não quer ver o site morrer se mobilizou para tentar restabelecer o serviço. Tem até petição no Change.org pedindo a libertação de Artem Paulin.

Um dos clones é o KAT.am. Aqui, é possível buscar qualquer conteúdo com a mesma interface do KAT, mas sem abrir anúncios quando passamos de uma página para outra. Seus criadores o alojaram em vários servidores na nuvem para evitar um eventual bloqueio futuro.

katam

O KAT.am garante ter acesso à toda a base de dados do KAT, incluindo comentários e dados de usuários. O site por enquanto é funcional, com pelo menos parte dos dados do original.

 

O perigo de se deixar levar pelas aparências

kat clone

Outros dois clones são o dxtorrent.com e o kickasstorrentsan.com. São reproduções exatas do KAT nas suas seções, incluindo o FAQ e comentários de usuários. É possível acessar parte dos torrents (sem saber até que ponto é o acesso) e os downloads começam sem problemas, coincidindo as buscas entre eles com os clones já citados.

Mas na hora de fazer o registro ou o login no site, eles direcionam para sites externos, exibindo várias janelas com anúncios muito suspeitos. Aqui é possível notar uma navegação mais problemática, inclusive com alertas de indisponibilidade temporária dos sites.

Outros clones como o kickasstorrents.eu não são recomendados, pois são verdadeiros chamarizes de publicidade. Trocam o download por anúncios publicitários, e isso foge ao perfil histórico do KAT, que até exibia anúncios, mas liberava o download independente de sua visualização. Sem falar no pedido de download de um aplicativo, que não explica em detalhes como é o download do torrent em questão.

 

Tudo está no ar

Por enquanto, os clones funcionam, enquanto que o KAT original está fora do ar. Outros sites podem sair do ar, mas vários outros tendem a surgir. A Hidra da internet é, efetivamente, os sites de torrents. E parece que isso não vai mudar tão cedo.