650_1000_paddle-2

Os smartphones modulares parecem ser uma das tendências que mais gerou expectativas nos últimos meses, mas as ideias que prometem revolucionar o mercado não param de aparecer. Os responsáveis do Paddle demonstraram essa semana um smartphone que “apenas” muda de forma. Literalmente.

O dispositivo foi desenvolvido pelos pesquisadores da Universidade Hasselt (Bélgica), é conta com um design que lembra de certa forma o cubo de Rubik, e é composto de oito módulos quadrados que se dobram para se adaptar a diversas formas.

O resultado é um smartphone que é capaz de assumir a forma de um bracelete, um tablet, um bloco de anotações, entre outros. Raf Ramakers, um dos responsáveis pelo seu desenvolvimento, explica: “quando o Paddle se abre completamente, ele é quase do tamanho de um iPad, mas quando ele é dobrado, ele consegue ficar menor que um iPhone”.

650_1000_paddle-1

O design atual faz uso de dois componentes externos: um sistema de seguimento óptico e um projetor. O primeiro elemento calcula a posição de todos os marcadores em 3D ao combinar imagens das oito câmeras infravermelhas instaladas no produto, e registra também a posição dos dedos para habilitar a interação táctil.

Por sua parte, o projetor é o que representa a informação no dispositivo e a distorção em base dos movimentos dos dedos do usuário. No futuro, eles querem um substituto do seguimento com telas OLED ou de tinta eletrônica, podendo ter um protótico funcional em 12 ou 18 meses.

A ideia pretende explorar um novo segmento de dispositivos que combinam a flexibilidade das telas touch com as vantagens que a interação com objetos com diferentes formas pode oferecer.

 

Via FastCo Design