futuro-dos-smartphones

A Trustly publicou um infográfico, que mostra diferentes opiniões de especialistas em tecnologia, que resultou em uma linha temporal de futurologia, entre os anos de 2020 e 2050. O item mais interessante do estudo, além da importância dos pagamentos online, foi encontrar a previsão do desaparecimento dos consoles em 2020 ou do smartphone, em 2035.

Esta última é atribuída à Renée J. James, presidenta da Intel, e é sempre difícil prever o futuro, ainda mais se falamos do universo da tecnologia e uma margem de 20 anos. Porém, não podemos tomar essa afirmação como um fim absoluto do smartphone, mas sim como uma evolução para uma outra coisa que ainda está por vir.

Pelo menos é isso o que podemos concluir de várias entrevistas, onde os responsáveis da Intel apostam na telefonia móvel como um ponto intermediário entre o computador pessoal e a tecnologia passiva, que deve chegar em quase todos os aspectos de nossas vidas cotidianas.

 

Um dispositivo mais pessoal

O smartphone como conhecemos com certeza vai mudar nos próximos 20 anos, mas não vai desaparecer por completo. Vai evoluir para um dispositivo mais pessoal, mais integrado ao corpo, mais protésico e imprescindível no nosso dia a dia.

Como será o smartphone de 2035?

Fisicamente muito diferente do que temos hoje. Mais próximo da biologia do usuário, com interfaces inteligentes que podem se antecipar à nossas necessidades, utilizando múltiplas informações do entorno, da Internet das Coisas, e criando novas formas de realidade aumentada, interpretando a informação que nos rodeia.

Os novos usos que daremos a esses dispositivos são difíceis de serem antecipados. Também não é possível antecipar se isso será bom ou ruim para o usuário, ou até mesmo para o ser humano como espécie. Teremos que esperar para ver.

Infográfico a seguir.

1024_2000

Via Trustly