apple-vs-eus-vs-fbi

O caso Apple vs FBI é um dos mais importantes dos últimos anos, já que o que está em jogo não torna essa uma simples batalha de uma empresa contra o governo. O tema da privacidade e da segurança de nossos dados está em jogo, e por isso muitas empresas mostraram o seu apoio para a gigante de Cupertino.

Em 1 de março aconteceu a primeira audiência onde as duas partes apresentaram os seus argumentos iniciais. Mas em 3 de março venceu o prazo para a Apple realizar o acesso ao iPhone 5c dos atentados de San Bernardino, algo que está em standby até os resultados da próxima audiência, marcada para o dia 22 de março. O que está mantida é a possibilidade de entrega de documentos e argumentos legais a favor da Apple.

 

O setor tecnológico fecha trincheiras em torno da Apple

apple-vs-eus-vs-fbi-02

Em uma ação sem precedentes, mais de 40 empresas, personalidades e organizações apresentaram no Tribunal Federal da Califórnia documentos, alguns de forma individual e outros de forma combinada, onde se destacam um grupo de 16 companhias que incluem: Airbnb, Automattic, CloudFlare, eBay, GitHub, Kickstarter, LinkedIn, MapBox, Medium, Meetup, Reddit, Square, Squarespace, Twitter e Twilio, que reforçam os valores de privacidade e transparência nos serviços online.

O WordPress menciona o perigo que esse precedente poderia representar para as empresas de software. Microsoft, Google e Facebook também apresentaram documentos em apoio à Apple, mas não os tornaram públicos.

Além das empresas, diversos grupos formados por especialistas em segurança, decidiram apoiar a Apple, como: The Software Alliance, The Consumer Technology Association, The Internet Association, The Information Technology Industry Council e o TechNet. Grupos de defesa sem fins lucrativos como o American Civil Libertines Union, Access Now e o Centro para a Democracia e Tecnologia também apresentaram documentos a favor da Apple.

Por fim, AT&T, Electronic Frontier Foundation, Intel e The Media Institute manifestaram o seu apoio para a gigante de Cupertino, além de Salihin Kondoker, um residente de San Bernardino cuja esposa recebeu três disparos durante o ataque.

Por conta da grande quantidade de cartas, documentos, posts e manifestações de apoio em geral, a Apple decidiu abrir uma página especial em seu site, reunindo todas essas informações e atualizando continuamente, conforme novas empresas e organizações se manifestam sobre o assunto.

Via AppleRecode