Como informei aqui no blog, o sistema operacional móvel Android comemorou cinco anos de vida ontem (5). A caminhada foi longa, e é fascinante ver o seu crescimento. Por isso, o pessoal do CNET resolveu ilustrar essa história em números e imagens, com dados que mostram o quão expressivo foi esse crescimento do sistema do Google nas plataformas móveis.

Para começar, a métrica favorita de Andy Rubin e de todos os fãs do Android: o número total de ativações de dispositivos. O Googleplaex diz que o número total já ultrapassou a marca de meio bilhão de dispositivos no meio do mês de setembro, mais ou menos no mesmo período que o CEO do Google, Eric Schmidt, afirmou que 1.3 milhão de dispositivos Android são ativados todos os dias.

Em uma conta rápida, podemos dizer que de lá para cá, já são mais de 570 milhões de ativações até hoje. Traduzindo: são quase dois dispositivos Android para cada cidadão norte-americano (lembrando que os 570 milhões são ao redor do planeta), e com essa velocidade, eles vão alcançar em breve a estimativa de um em cada dez habitantes do planeta sendo proprietário de um dispositivo Android.

Com a atual taxa de crescimento (segundo declaração de Eric Schmidt, que fique bem claro), o Android vai alcançar a marca de 1 bilhão de ativações antes de comemorar seis anos de seu lançamento. Se acontecer, é menos tempo que o Facebook levou para alcançar a mesma marca, o que é algo impressionante, uma vez que a rede de Mark Zuckerberg é gratuita, e os dispositivos com o sistema do Google precisam ser pagos pelos usuários (a maioria; alguns deles são oferecidos de graça, dependendo do plano a ser adquirido com a operadora. Mesmo assim…).

São aproximadamente 4 mil interfaces do Android disponíveis no mercado (dados do mês de maio). Nessa conta, estão inclusas as ROMs customizadas. Sobre os dispositivos, a estimativa é que pelo menos 600 dispositivos diferentes com o sistema Android estão circulando no mercado.

Sobre as versões disponíveis, as duas primeiras (1.0 e 1.1) não receberam nomes de doces, e estão praticamente extintas. A tradição de despertar a fome nos geeks começou com o Android 1.5 (Cupcake), onde o sistema ainda não era tão popular. Isso começou a mudar com a chegada da versão 2.1 (Eclair), mas apenas 3.1% dos dispositivos ativos hoje funcionam com essa versão.

A versão 2.2 (Froyo) ainda está ativa em, pelo menos, 12% dos dispositivos Android do mercado (segundo dados do Google). A grande maioria dos tablets e smartphones do mercado contam hoje com a versão 2.3 (Gingerbread), com 54% dos dispositivos em circulação. A versão é seguida de longe pela 4.0 (Ice Cream Sandiwich), com 25.8%, com um crescimento muito lento. A penúltima versão lançada, a 4.1 (Jelly Bean), conta com apenas 2.7% dos dispositivos atuais. A versão 4.2 (Jelly Bean) foi lançada recentemente, e ainda não possui dados analisados.

Por fim, outros dados considerados relevantes. Primeiro, o número de aplicativos disponíveis. Segundo a AppBrain, são 556.802 aplicativos Android disponíveis, e esse número não para de crescer. Vale observar que esse número vem de uma empresa de análise de mercado independente. Segundo o Google, o número de aplicativos Android disponíveis na Google Play já passou da marca dos 700 mil apps. E nas duas contas, não são informados quantos malwares estão disponíveis.

Outra dúvida: qual é o dispositivo Android mais popular do mercado? A resposta aqui é meio óbvia, mas é dividida em três partes. A Samsung confirma a sua hegemonia no mundo Android, ocupando as três primeiras posições na categoria “dispositivos mais populares”, com o Galaxy S II na primeira posição, o Galaxy S III na segunda posição, e o Galaxy S ocupando o terceiro posto. Além disso, 8 dos 10 dispositivos Android mais populares são smartphones da linha Galaxy. E isso explica toda a briga que os coreanos enfrentam contra a Apple nos tribunais.

Como será a trajetória do Android nos próximos cinco anos? Só o tempo vai dizer. Garanto que vou acompanhar essa história de perto, e contar minhas impressões aqui no blog, sempre que possível.