650_1000_650_1000_ctl-education-chromebook-handle-1

Nos Estados Unidos, os Chromebooks seguem ganhando terreno no setor educacional, e alguns fabricantes já começam a ter problemas para atender a demanda gerada.

Esse problema é sempre muito relativo, pois se o fabricante produziu poucas unidades, é evidente que o volume se esgota rapidamente. Mas a realidade é que a própria Google informa que foram vendidos um milhão de unidades de Chromebooks no segundo trimestre de 2014. Todas com destino às escolas e universidades.

Entre os fatores que fizeram as escolas escolherem os Chromebooks estão o preço, a segurança, a facilidade de manutenção, ou a adição de ferramentas como o Google Apps for Education. São computadores portáteis leves e de tamanho manejável, algo valorizado para um uso pelos estudantes.

 

Dell também mostra as suas propostas

650_1000_chrome1-730x400

Entre os fabricantes, a Dell anunciou na semana passada que retirou temporariamente do seu catálogo o Chromebook 11, pelo fato das unidades terem se esgotadas. E quase todas destinadas ao setor educacional dos EUA.

É evidente que a Microsoft contra-atacou. Na semana passada, as primeiras unidades de computadores com Windows por US$ 249 começaram a aparecer, na tentativa de mostrar ao consumidor que era mais vantajoso comprar um modelo com o Windows do que com o Chrome OS.

650_1000_chromebooksmsft-1

Daqui até o final do ano, é esperado que o catálogo de portáteis com o sistema Chrome OS alcance a marca de 20 modelos diferentes, todos seguindo o mesmo padrão, com hardware Intel. Porém, no futuro, quem deve entrar nesse mercado é a MediaTek, o que pode resultar em Chromebooks ainda mais baratos.

Via Google