Xiaomi-Redmi-2A

A Xiaomi é a empresa da moda, e começa a sentir efeitos colaterais dessa popularidade. Diversos fabricantes chineses especializados em desenvolver falsificações muito decentes no seu interior colocaram os seus olhos nos produtos da empresa, criando a ironia dos chineses copiarem os próprios chineses.

A Xiaomi informa que o problema começa a ficar muito grave. Lei Jun, CEO da empresa, dá o exemplo das suas baterias externas Mi Power Bank: em 2014, eles venderam 14.6 milhões de unidades do acessório, mas o número poderia ser muito maior se não tivessem tantas falsificações. O estimado é que eles poderiam duplicar ou até triplicar as suas vendas sem as falsificações.

O problema foi analisado pelo estudo realizado pela Office of the United States Trade Representative, que confirma que a China facilita a distribuição de quantidades significativas de mercadorias falsificadas. O vice-primeiro ministro chinês Wang Yang revelou no mês passado que eles iriam redobrar os seus esforços para combater o problema.

A Xiaomi vai ter que lidar com um problema que outros sofrem nos últimos anos. Várias lojas online oferecem dispositivos falsificados, e muitos usuários não contam com um canal oficial de compra para esses produtos. Infelizmente, quando isso acontece, o produto que chega ao consumidor final não passa de uma imitação, o que gera reclamações diversas.

Via Bloomberg