Não, amigos… esse jovem, com camiseta azul e olhar embasbacado não está olhando para uma mulher seminua. Ele está vendo o comercial do novo iPad. Se você já se deparou com um desses no meio da rua (ou no seu trabalho, ou na sua casa), este é um Apple Fanboy!

Todo Apple Fanboy tem algumas coisas em comum com um típico adolescente: a excitação, a histeria, a irracionalidade nas opiniões e julgamentos (principalmente quando o julgamento é sobre os outros), ficar na fila por dias pegando chuva e frio só para ser o primeiro a comprar o novo iPhone, entre outras coisas. Sim, amigos… o Apple Fanboy é um sujeito juvenil e peculiar.

Aliás, o termo “fanboy” se tornou insuficiente para os fãs da Apple, já que muitas mulheres também são adeptas incondicionais aos produtos da marca, e podem muito bem ser chamada de fangirl. Mas não é só isso. Agora, podemos começar a denominar essa espécime diferenciada de usuário de tecnologia como “Apple Fanmen” e “Apple Fanwomen”, pois a primeira geração de “fanboys”, vindas do começo dos anos 2000, cresceu. E permaneceu fã da Apple.

Um estudo gerenciado pelo instituto YouGov mostra que a maior faixa demográfica de fãs da Apple não está no grupo dos adolescentes e jovens adultos, da faixa entre 18 e 34 anos, e sim naqueles com mais de 35 anos. Antes, os mais novos dominavam a “massa de adulação” à empresa de Tim Cook, o que mostra que a presença da Apple é tão forte entre os seus consumidores, que eles crescem e continuam comprando seus produtos ao longo dos anos, de forma constante. E que, é claro, maturidade não vem com a idade.

Uma prova clara do resultado do estudo está em uma simples resposta comportamental aos implementos adotados nos novos produtos. O estudo revela que uma das principais novidades do iPhone 4S, o assistente pessoal inteligente Siri, foi focado justamente no público que tem mais de 35 anos de idade, já percebendo que a média etária dos fãs da empresa estava ficando mais elevada. E os usuários mais velhos foram justamente aqueles que mais positivamente responderam à proposta do Siri. O grupo compreendido entre os 18 e 34 anos de idade, esperavam mais do atual iPhone na época do seu lançamento.

Para a Apple, a notícia é excelente. Ter uma clientela mais qualificada e com maior poder de consumo é tudo o que qualquer empresa desse mundo quer. Explorar novas possibilidades de mercado é o grande desafio de todas as principais grandes fabricantes, e ter uma boa visibilidade com o grupo certo de consumidores pode ser o grande segredo do sucesso. A prova da dominância da Apple no mercado está justamente nessa “tradição” passada de uma geração à outra, através da qualidade de seus produtos, sua proposta simples e seu design atraente. E esses elementos já fazem com que a segunda geração de consumidores permaneça com a marca por mais tempo.