Windows-95-launch-1995

Hoje é um dia especial para a Microsoft. O Windows 95 comemora o seu vigésimo aniversário, e mantém o seu paradigma bem vigente.

A Microsoft apresentou o Windows 95 como uma revolução em comparação ao Windows 3.11, cuja interface gráfica não era nada mais que uma extensão do MS-DOS. O botão Iniciar passou a ter um protagonismo especial, se tornando no padrão onde muitos outros sistemas operacionais para desktops centrariam suas propostas.

Rodeado de uma grande expectativa, o Windows 95 foi lançado em 24 de agosto de 1995, trazendo consigo uma revolucionária interface gráfica que mudou o mundo da informática para sempre. Além disso, a versão incluía o suporte Plug & Play, multitarefa perspectiva e a possibilidade de utilizar nomes de arquivos longos. Foi distribuído em disquetes e CD-ROM, e a Microsoft investiu US$ 300 milhões no seu marketing, incluindo um comercial com a música ‘Start Me Up’ dos Rolling Stones.

 

O Windows 95 foi um sucesso de vendas, e o seu paradigma nos desktops se mantém até hoje. A Microsoft o reutilizou em todas as versões futuras do sistema operacional, exceto o Windows 8. Até o Linux ‘imitou’ a disposição do desktop Windows com o GNOME 2 (mas utilizou duas barras no lugar de uma) e no KDE, sendo este último acusado de ser uma cópia do sistema da Microosft. O Ubuntu resgata muitos dos elementos do Windows, mas mescla com outros inspirados no OS X e no NextStep. A interface do Linux Mint (Cinnamon) é basicamente uma cópia do Windows 7.

Como podemos ver, o Windows 95 foi muito mais do que uma versão do sistema operacional da Microsoft. É uma peça chave na evolução da informática doméstica, com uma disposição do entorno de trabalho que foi e seguirá sendo imitada por outros sistemas operacionais no futuro.

A seguir, um vídeo que resgata um pouco sobre como a imprensa (ou melhor, o Jornal Nacional) cobriu o lançamento do Windows 95.