OneDrive

Em um passado não muito distante, o SkyDrive foi uma boa opção de armazenamento na nuvem, competindo de frente com o Dropbox que, por algum motivo, se tornou o preferido de muitos, mesmo com escassos 2 GB de armazenamento gratuito.

Com o lançamento de outros serviços, oferecer GB de armazenamento na nuvem era uma aposta para atrair o interesse dos usuários. Muitos dos serviços do passado deixaram de existir, e outros se focaram no mercado empresarial. Alguns dos mais conhecidos se atreveram a reduzir os GB na nuvem.

O antes conhecido como Windows Live SkyDrive, depois SkyDrive e, após uma disputa de nome com a British Sky Broadcasting Group em 2014, batizado em definitivo como OneDrive, completou 10 anos de vida, com mudanças positivas e negativas.

A Microsoft comemora esse aniversário com uma publicação em seu blog, revelando algumas das conquistas da ferramenta. Independente do tipo de usuário, o OneDrive conta com 115 milhões de usuários diários, incluindo o 85% do Fortune 100 que usa esse serviço de armazenamento. Já o OneDrive for Business conseguiu mais que o dobro de usuários no último ano.

Algumas das novidades que o OneDrive recebeu foram destacadas, como o novo cliente de sincronização, melhor suporte para arquivos pesados, visualização para 270 tipos de arquivos diferentes, histórico estendido para todos os tipos de arquivos, compartilhamento via iMessaging, buscas inteligentes, melhorias em colaboração multiplataforma, entre outros.

Porém (e por motivos óbvios), a Microsoft não mencionou que o OneDrive oferecia nos seus melhores tempos 15 GB de armazenamento gratuito na nuvem, até que um dia ela decidiu reduzir para 5 GB, a não ser que o usuário se registrasse em um site específico para evitar a redução de espaço.

Seria fantástico que a Microsoft aumentasse o armazenamento gratuito para 10 GB, em comemoração aos 10 anos do OneDrive, mas isso não aconteceu. Porém, a empresa promete que nos próximos meses vai lançar novas características para dispositivos móveis, melhores formas de gerenciamento e garantia de conteúdos, além de maneiras mais inteligentes para compartilhamento e colaboração remota.

 

Via Blog Microsoft