Agora é oficial: o Windows 10 S vai se transformar em um modo para outras versões do sistema operacional, deixando de ser uma versão independente.

Quem confirma é o vice-presidente corporativo do grupo de S.O. na Microsoft, Joe Belfiore, através de uma publicação em sua conta pessoal no Twitter. A mudança acontecerá em 2019.

O Windows 10 S foi apresentado pela Microsoft em maio de 2017 como uma solução para os setores educacional e empresarial para enfrentar os Chromebooks. O problema da versão estava nas letras miúdas: o bloqueio da instalação de aplicativos de terceiros, de fora de sua loja oficial ou não certificados pela Microsoft. Além disso, o navegador (Edge) ou o buscador padrão (Bing) não poderiam ser modificados.

Mesmo destacando a maior leveza, segurança e facilidade de gerenciamento, o Windows 10 S não era útil nem para determinados nichos de mercado.

O desespero em enterrar os aplicativos Win32 levou à equivocada decisão de lançar o Windows 10 S. Todo mundo viu essa versão como uma plataforma fechada, onde a Microsoft a utilizaria para favorecer os seus próprios apps, e os desenvolvedores não gostaram disso.

Agora, o Windows 10 S como conhecemos vai virar um modo dentro de outras versões do Windows. Ainda não sabemos como ela vai funcionar, ou se a Microsoft vai impor a sua habilitação como padrão em alguns equipamentos. Alguns produtos ainda oferecem a atualização gratuita para o Windows 10 padrão.

Outro ponto a se levar em consideração é que o Windows 10 S também se utiliza na plataforma Windows 10 com ARM, recém chegada e que também gera muitas dúvidas. Sem falar na especulada Polaris, mais uma versão em desenvolvimento para matar de vez os aplicativos Win32.

O Windows 10 S foi um fiasco? Você pode dizer. Aliás, ainda é possível testar a versão. Ao meu ver, jamais teve potencial para superar o Chrome OS, levando em consideração a comparação entre as duas propostas.

 

Via @JoeBelfiore