facebook

A Share Foundation criou um gráfico que analisa o tecido humano do Facebook, onde milhares de funcionários interagem todos os dias.

Os dados chegam diretamente do LinkedIn, rastreando os perfis de pessoas que trabalham no Facebook, mostrando hierarquia, demografia, relações com outras empresas, etc.

Não sabemos se o departamento de recursos humanos do Facebook está contente com e esse gráfico. Analisar assim os funcionários de uma empresa pode dar um toque de mega corporação distópica, mas dados são dados, certo?

Os dados mostram quem está mais relacionado com quem no Facebook (com Mark Zuckerberg no centro de tudo, é claro) ou os grandes membros do conselho: Marc Andreessen, Peter Thiel e Sheryl Sandberg.

Também podemos ver que outras empresas mantém laços fortes com a rede social, principalmente Microsoft, Google, eBay, Zynga e Yahoo, e até de qual universidade os funcionários estudaram, como Stanford, Harward e Columbia.

Nos países, a maioria são dos Estados Unidos, da França e da Austrália. Um dado curioso é que a maioria não pertence à Ivy League (universidades públicas de prestígio), mas sim das universidades particulares de maior renome.

O estudo é muito complexo e graficamente brilhante. Exigiu uma semana de recompilação de dados, além de sua elaboração, narração escrita e produção efetiva dos gráficos.

Para ver mais sobre o tecido humano do Facebook, clique aqui.