Samsung Galaxy S6

O Samsung Galaxy S6 tem mais de dois anos de vida, e muitos se perguntam se está na hora de trocar esse modelo por outro. Mas… qual é o real tempo de vida útil de um smartphone, especialmente um top de linha como esse?

Quem é adepto ao top de linha quer sempre o novo, mas nem sempre compra o novo no primeiro dia. Acaba esperando alguns meses, seja para corrigir os erros ou para que os preços caiam.

Mas… dois anos para substituir um top de linha? É pouco.

Para muita gente, o Galaxy S6 ainda atende as necessidades, ou seus defeitos são passíveis de se conviver. Além disso, este é um momento de transição no mercado mobile, o que indica que vale a pena esperar pelo o que está por vir.

O Galaxy S6 ainda é bem fluído, tem uma tela ótima, possui recarga de bateria sem fio, e outros aspectos. Pode ser que o leitor de digitais não tem a mesma resposta como antes, mas isso é um sinal de uso e você até pode viver bem sem isso.

A bateria pode ser curta para quem faz uso intenso do model, mas em compensação, é outro problema que, quem tem esse modelo até hoje, já aprendeu a conviver com ele, e pode pensar duas vezes antes de investir em um novo smartphone Android.

Logo, ainda dá para esperar para ver o que o Galaxy S9 pode trazer em 2018. E, depois dele, a tendência de vida útil de um smartphone top de linha só tende a aumentar, prorrogando assim a janela de troca de dispositivo.

Muitos usuários preferem gastar menos e trocar regularmente dispositivos de linha média. Já outros mais endinheirados conseguem trocar os seus smartphones top de linha todos os anos.

Mas o Galaxy S6 pode chegar aos três anos de vida sem problemas nas mãos dos menos exigentes. Mesmo assim, os resultados podem variar. Quem sabe daqui a seis meses eu mudo de opinião sobre tudo isso.