Galaxy Note 7 teaser

Os problemas de explosões e incêndios no Samsung Galaxy Note 7 vão custar muito caro para os coreanos. Na verdade, é um valor de partir o coração de qualquer executivo.

De acordo com a Bloomberg, o recall de 2.5 milhões de unidades distribuídas do Galaxy Note 7 custarão para Samsung nada menos que US$ 1 bilhão. Esse teria sido o volume total comercializado nas primeiras duas semanas de vendas, e isso porque os problemas foram detectados em “apenas” 35 unidades desse total.

 

É um problema tão grave assim?

O gasto total com esse recall é o estimado pelos analistas, e não deve quebrar a Samsung como empresa. US$ 1 bilhão representa apenas 5% das receitas projetadas pela empresa em 2016, mas é um número importante, que vem acompanhado de outras consequências negativas.

Além disso, esse gasto não se limita às perdas globais, mas também as perdas pelas quedas no valor das ações das empresas afetadas, incluindo a filial Samsung SDI Co, que fabricou 70% das baterias desses Galaxy Note 7, e que viram suas ações caírem 3,2%.

Por outro lado, devemos levar em consideração que o Galaxy Note 7 foi recém lançado, e teve uma grande demanda. Com ele, a Samsung esperava encerrar o ano de 2016 de forma positiva, principalmente depois das boas vendas obtidas pelo Galaxy S7.

Com o recall, a Samsung vê afetado o seu pilar central para encerrar bem o ano, sem falar que isso pode gerar problemas de fornecimento que impedem a empresa em cobrir de forma adequada a demanda do Galaxy Note 7, com a correspondente perda de vendas.

Não dá para concretizar com precisão o quanto vai custar para a gigante sul-coreana esse episódio, mas com certeza entre gastos e perdas diretas e indiretas serão de bilhões de dólares.

Em todo caso, a Samsung está fazendo (e com coragem) o que deve ser feito.

Via Bloomberg