A Escolha de Sofia? Talvez, para alguns. Nem tanto, para a maioria. Certamente você já está se perguntando com qual deles é melhor ficar, antes mesmo da nova versão chegar. De um lado, temos o iPad Mini, menor, mais novo, mas um pouco mais caro. Do outro lado, temos o iPad 2, maior, mais velho, mas um pouco mais barato. Tirando por base os valores cobrados para os Estados Unidos (US$ 329 para o iPad Mini, e US$ 319 para o iPad 2, ambos com WiFi e 16 GB de armazenamento), podemos já estimar que a nova versão chegará ao Brasil mais cara que a antiga, mesmo que seja em uma diferença mínima de preço.

Então, fica a pergunta: qual dos dois tablets merece o seu dinheiro (ou a passada do seu cartão de crédito)?

A disputa é bem interessante, principalmente se o quesito “preço” for levado em consideração. Enquanto que nos Estados Unidos temos uma diferença de apenas US$ 10, no Brasil, essa diferença pode ser um pouco mair do que os R$ 20 estimados, e isso pode fazer uma grande diferença. Mas, antes de falar nesse quesito, vamos de novo voltar para algo que não tem preço: a percepção de cada usuário diante dos dois modelos, e suas necessidades nessa futura aquisição.

De modo geral, a principal diferença entre os dois modelos está no tamanho de suas respectivas telas. iPad Mini, com 7.9 polegadas, e o iPad 2, com 9.7 polegadas. Ah, e tem o conector Lightining, que é outro grande diferencial, mas disso, eu falo mais para frente. Nos demais itens de hardware, eles são muito parecidos: ambos com processador A5 dual-core, tela com resolução de 1024 x 768 píxels, WiFi e 16 GB de armazenamento (nos preços anunciados).

Para quem busca uma maior qualidade de gravação de vídeos em um produto, o iPad Mini pode ser a escolha. Os dois tablets contam com gravação em alta definição, mas o iPad 2 se limita aos 720p, enquanto que o iPad Mini grava a 1080p. Por outro lado, gravar nessa capacidade vai fazer com que a sua capacidade de armazenamento se esgote rapidamente. Mas é o preço a ser pago pela maior qualidade de imagem. Além disso, o iPad Mini possui uma cãmera frontal maior do que o iPad 2.

Outro item a ser considerado é a mobilidade do produto. Pelas suas dimensões, o iPad Mini é muito mais “mobile” que o iPad 2, pois é menor e tem a metade do preço, além de oferecer a mesma autonomia de bateria do modelo maior. Em alguns casos, dependendo do perfil de uso, até um pouco mais.

Mas… o iPad 2 não tem nenhuma vantagem? Tem sim. Ele ainda é um tablet bem funcional. Tão funcional quanto o iPad Mino, com o mesmo desempenho, mas com uma tela maior, ou seja, oferecendo maiores possibilidades para atividades específicas de produtividade (para quem usa o tablet para trabalhar) ou para jogos (é melhor jogar em uma tela maior). Além disso, pode ser um bom negócio adquirir o iPad 2 para quem realmente entende que a tela Retina e um processador mais potente não são diferenciais tão significativos (acho difícil disso acontecer com os mais exigentes), e a tendência é que algumas ofertas apareçam antes da chegada do iPad Mini por aqui.

Vale a pena sempre levar em consideração esperar pelo anúncio oficial do iPad Mini no Brasil, e quais serão os preços oficiais dos modelos quando o novo produto chegar ao nosso mercado.

Com tudo isso, podemos dizer que:

– se você busca o produto mais barato, sem se importar com o tamanho da tela, compre o iPad 2
– se você busca um produto compatível com os dispositivos iOS que você já tem, compre o iPad 2
– se você prioriza a mobilidade, e quer usar o tablet em qualquer lugar, compre o iPad Mini
– se você quer um produto comercialmente mais valorizado, e não ter tanto prejuízo quando passar para frente para comprar um novo, compre o iPad Mini