oled

Mais e mais smartphones optaram pela tecnologia OLED, e isso permitiu aos fabricantes oferecer designs mais chamativos, com a tela como protagonista. Mas… temos só vantagens aqui?

Como tudo nessa vida, temos perdas e ganhos. Inclusive nas telas OLED nos smartphones.

 

Vantagens

 

 

A qualidade de imagem das telas OLED é espetacular. Alto brilho e contraste que uma tela LCD não consegue oferecer, combinado com negros puros e entregando uma reprodução de conteúdos com qualidade final muito superior.

Além disso, os fabricantes podem oferecer smartphones com design mais fino, leve e com tela 100% frontal, com formas curvas nas bordas. Uma tela OLED, por poder se dobrar, reduz a utilização de espaço frontal.

Por fim, uma tela OLED consome menos energia que uma LCD, algo muito positivo para a autonomia de bateria de um smartphone.

 

 

Desvantagens

 

 

Uma tela OLED é mais complexa de se fabricar do que uma tela de LCD, e o controle da qualidade final é mais difícil. Isso resulta na escassez das telas mais avançadas e atuais, já que não é possível fabricar com garantias no mesmo ritmo que os fabricantes exigem.

Mesmo com grandes investimentos dos fabricantes, a realidade é que a Samsung é a principal fabricante de telas OLED com qualidade. Mas não pode abraçar toda a demanda exigida (a sua, e a de terceiros).

Além disso, uma tela OLED fabricada pela Samsung no iPhone X da Apple não tem a mesma qualidade que a do Galaxy Note 8. O resultado depende da calibração que cada fabricante optou dar à tela montada em seu dispositivo, decidindo assim se quer cores mais ou menos saturadas.

Outro problema é a durabilidade da tela OLED, que sofre de degradação mais rápido que uma tela de LCD, principalmente quando usamos fundos brancos muito luminosos e imagens estáticas. Com o tempo, retenções aparecem, e no pior dos casos algumas áreas da tela podem terminar queimadas.

 

 

Por fim, temos o tipo de padrão de subpixels para compensar o diferente desempenho dos pixels RGB da tecnologia OLED. O padrão mais usado é o desenvolvido pela Samsung para suas telas Super AMOLED, a Pentile. Isso faz com que caso a tela não conte com suficiente resolução, a perda de nitidez acabe se nivelando ao de uma tela com LCD.

Não devemos nos esquecer do inconveniente mais comum e visível: a mudança de tonalidades de acordo da qualidade da tela que se produz ao variar o ângulo de visualização da tela, principalmente em fundos brancos, algo que não acontece com telas LCD de qualidade.

Agora, a decisão é sua. O que prefere para a tela do seu smartphone? OLED ou LCD?