google-reader

O Google Reader dará os seus últimos suspiros e encerrará suas atividades no próximo dia 01 de julho. O fim do leitor de feeds RSS da Google era especulada há tempos, e agora ela está próxima de se tornar realidade. Diferente de muitos usuários (brasileiros principalmente), eu já fiz a minha escolha de substituto (até porque não queria deixar tudo para a última hora). Porém, como tem muita gente que quer seguir a tradição de ficar que nem um desesperado atrás de um software (por prazer ou por acomodação), esse post indica algumas sugestões que podem salvar a sua vida na hora de acompanhar as notícias que pipocam na internet o tempo todo.

Testei essas alternativas ao longo das primeiras semanas após o anúncio do fim do Google Reader, e com diferentes características e peculiaridades, eu acredito que pelo menos uma dessas alternativas podem se encaixar perfeitamente no seu comportamento de uso. Uma lição aprendida com o fim do Google Reader é que “não é o fim do mundo”. Você sempre pode buscar novas alternativas, que são tão ou mais completas que alternativa oferecida pela Google. Vejamos.

 

Feedly

O Feedly foi a minha alternativa escolhida para substituir diretamente o Google Reader. Ele lembra bastante o Flipboard (falo dele daqui a pouco), uma vez que é possível criar uma espécie de “revista virutal” de notícias, com opções de apresentação de feeds em um formato visual e intuitivo. Além disso, ele transforma o conteúdo do post automaticamente para se adaptar aos dispositivos móveis, e até inclui uma função muito útil para os finados usuários do Google Reader: a importação dos feeds.

O Feedly já está oferecendo a sua API para que ele trabalhe de forma completamente independente do Google Reader, se tornando um feed próprio, e não apenas um intermediário ao feed do Google. Outro detalhe importante: com uma API própria, outros desenvolvedores de aplicativos para leitores de feed RSS podem utilizar os serviços do Feedly como alternativa para o usuário final.

A ferramenta está disponível para os navegadores para desktops (como aplicativo, ou via cloud.feedly.com), além de aplicativos para os sistemas iOS e Android. Possui as propostas mais próximas que o Google Reader apresenta, e é a proposta que menos causará um impacto da mudança entre os usuários.

 

Flipboard

O Flipboard é outro serviço considerado grande. O aplicativo organiza todas as informações que você recebe pelo feed em função dos assuntos do seu interesse, de forma que você receba o conteúdo segmentado pelos temas. O recurso está disponível em aplicativos para iOS e Android, e tem um diferencial interessante: a inclusão dos feeds das redes sociais, como  Twitter e Facebook.

O grande problema do Flipboard é que ele não possui uma versão web, dificultando a vida dos produtores de conteúdo. É uma das melhores alternativas ao Google Reader… mas para quem prefere consumir os seus feeds no tablet ou smartphone. Para quem depende dos feeds para produzir conteúdos, ou para quem ainda prefere ler suas notícias no computador, não é uma opção.

 

Taptu

A boa notícia do pouco conhecido Taptu é que ele possui uma versão web e aplicativos para o iOS, Android, Nook e BlackBerry. É um dos mais democráticos leitores de RSS (mesmo sem estar disponível para o Windows Phone, por enquanto). O software também oferece a possibilidade de ser utilizado sem a obrigatoriedade de criar uma conta para acesso ao serviço. E essa é uma boa forma de você descobrir novos conteúdos, com diferentes temáticas, em diferentes fontes de notícias. Porém, para quem quer uma coisa mais organizada e segura, pode não ser uma boa opção.

 

NewsBlur

O NewsBlur não poderia ficar de fora dessa lista. Essa é uma opção de código aberto, e em sua versão gratuita permite que você acompanhe apenas 64 feeds. Pode parecer pouco, mas para a maioria dos usuários, é mais que suficiente (e mesmo para os usuários profissionais, que produzem ou consomem conteúdo a trabalho, é uma quantidade muito interessante). Outro diferencial interessante é que os aplicativos para iOS e Android do NewsReader oferecem notificações em tempo real quando alguns dos feeds são atualizados.

 

Digg Reader

O Digg Reader ainda não é uma realidade entre os internautas, mas será mais uma alternativa interessante. Tendo por trás uma das maiores empresas de conteúdo online do mundo, esse feed RSS promete contar com as principais funções oferecidas anteriormente com o Google Reader, oferecendo uma compatibilidade plena para aqueles que pretendem migrar para a sua plataforma, e uma total independência para gerenciamento das assinaturas dos feeds.

 

Redes Sociais

Além de todas as alternativas listadas, você ainda pode contar com os seus feeds do Twitter, Google+ e do Facebook. Você ainda pode seguir os portais de notícias e alguns sites pelas suas contas nas redes sociais, e assim se manter atualizado. É claro que nem sempre o conteúdo de uma conta do Twitter possui o mesmo conteúdo do site ao qual ele pertence, e a organização dessas mensagens exibidas vai depender da quantidade de pessoas e sites que você segueta. Mas em linhas gerais, quem produz conteúdos para a internet quer alcançar o maior público possível. E esse público está hoje nas principais redes sociais da atualidade.

Lembrando: você sempre pode assinar o feed RSS do TargetHD, para receber as últimas atualizações do blog com comodidade.