Microsoft

 

Microsoft e smartphones são palavras separadas por um abismo de incredulidade. Mesmo com esforços com o Windows 10 Mobile, a empresa não soube se vender em um mercado dominado pelo iOS e Android.

Deixando as questões de software de lado, parece que Satya Nadella não liga para as questões de hardware. Mas os rumores do Surface Phone são cada vez mais fortes.

Mas… o que a Microsoft precisa levar em consideração na hora de voltar ao mercado de hardware móvel?

 

 

Nem tudo se resume às especificações

 

 

No hardware, a Microsoft sempre foi muito bem. Smartphones como o Lumia 950 são a prova disso, com um processador Snapdragon 808 com 3 GB de RAM. Porém, nem tudo nessa vida é ter um hardware potente. É preciso ter um software que faça justiça.

 

 

Potenciar a loja de aplicativos

Outro tema espinhoso. De pouco vale ter um hardware potente se não temos aplicativos disponíveis nas lojas para aproveitar dessa potência toda.

Esse ponto seria essencial. Agradar os desenvolvedores, deixando tudo mais atraente para eles alimentarem as lojas de aplicativos para agradar o público. Algo que funciona, de forma invariável: público maior, mais desenvolvedores criando, mais aplicativos nas lojas, público maior…

 

 

Foco no nicho empresarial

 

Por fim, outra possibilidade menos hipotética é o foco no mercado empresarial, com dispositivos para profissionais e empresas com padrões de segurança mais elevados.

O Continuum pode ser aproveitado nesse segmento, expandindo a experiência do desktop além do computador, aproveitando as ferramentas de produtividade mais importantes, principalmente o Office.