A reconhecida empresa de segurança Kaspersky publicou o seu mais recente estudo sobre códigos maliciosos em diferentes smartphones, e os resultados não podem ser mais preocupantes para os usuários do sistema operacional Android. O número de malwares para o sistema móvel do Google simplesmente triplicou em apenas três meses.

Comparando o segmento que a Kaspersky analisa os códigos maliciosos e malwares que chegam à Google Play Store, ou em sua maioria para aplicativos disponíveis em fontes não oficiais e pouco confiáveis, no segundo trimestre de 2012 foram encontrados nada menos que mais de 14.900 ameaças que querem afetar os usuários desta plataforma, um número nunca antes visto em tão pouco tempo, o que desperta um forte sinal de alerta.

Destes quase 15 mil programas maliciosos, a maioria se tratava de “trojans multi-funcionais”, ou seja, aqueles códigos do tipo “cavalo de troia”, que foram criados com o objetivo de roubar dados privados dos smartphones e tablets, tais como senhas, endereços de e-mail e dados pessoais, além de realizar o download e instalar programas a partir de servidores remotos.

Porém, o dado mais preocupante revela que 18% desses malwares dedicados ao sistema Android podem conter códigos que, quando instalados nos dispositivos, oferecem controle absoluto aos hackers sobre o terminal infectado, podendo inclusive ter acesso ao número do cartão de crédito utilizado pelo usuário para compras virtuais em lojas como a Google Play Store.

Os responsáveis pelo estudo da Kaspersky Lab se mostram muito preocupados com esta situação. Um dos analistas principais da empresa, da área de análise de malwares, Yuri Namestnikov, garante:

“Neste último trimestre, a situação foi mais que preocupante, e no futuro, estamos esperando pela chegada não só de mais ameaças via malware, mas também que esses códigos maliciosos sejam mais perigosos e efetivos, incluindo ataques mais sérios, como o roubo de dinheiro dos usuários de dispositivos Android”.

Não obstante (e tal como mencionamos acima), grande parte desses malwares não chega à loja oficial do Google (Play Store), mas ficam em aplicativos que estão disponíveis para download em fontes não oficiais, tais como paginas web, fóruns de download e, obviamente, repositórios de aplicativos piratas. Por isso, uma forma de proteger o seu dispositivo Android de tais ameaças e somente adquirindo seus aplicativos a partir da Google Play Store.

A Kaspersky também recomenda os seus próprios serviços para proteção contra vírus e demais ameaças nos dispositivos móveis, como o Kaspersky Mobile Security e o Kaspersky Tablet Security. Por fim, vale a pena observar que o Google ainda não se pronunciou diante de tais fatos.