Talvez o produto que mais chamou a atenção dos internautas que acompanharam o keynote da Apple hoje (23) em San Jose (Califórnia, EUA) foi justamente o novo iMac, que em sua oitava versão se apresenta como um produto com uma aparência futurista, um design muito elegante, um formato bem compacto, e principalmente: fino. Muito fino.

É o produto que mais recebeu melhorias, e o que mais chama a atenção pelas modificações. Para começar, as  duas versões do desktop (21.5 polegadas e 27 polegadas) contam com uma tela LED retroiluminada, com um reflexo que chega a ser 75% menor que o modelo anterior. Com diferentes opções de processadores (entre Intel Core i5, de 2.7 a 3.2 GHz até um Core i7, de 3.4 GHz), ele não só é mais potente no seu desempenho geral, mas também na execução das atividades com gráficos, trabalhando agora com um chip NVIDIA GeForce, que é 60% mais rápido que o chip gráfico presente na versão anterior.

O novo iMac também traz novidades na sua parte de armazenamento. Agora, o usuário conta com o recurso Fusion Drive, que apesar da Apple chamá-lo de “inovador”, nada mais é do que a já conhecida combinação de disco rígido com memória SSD, que é utilizado nos ultrabooks atuais. A diferença é que o Fusion Drive promete uma administração de armazenamento e distribuição de dados nas unidades de forma automática e inteligente. Com ele, os aplicativos, documentos, fotos e outros arquivos que você usa de forma mais intensa ficam armazenadas na unidade em flash, com um acesso mais rápido, e os itens menos acessados ficam no disco rígido. Além disso, o tempo de inicialização do sistema operacional é menor, e o acesso aos aplicativos e recursos disponíveis é mais rápido.

As portas de conectividade também foram alteradas, e o novo iMac conta agora apenas com as portas Thunderbolt, USB 3.0 e Wi-Fi/Bluetooth, além do conector Ethernet. Ou seja, você vai ter que ser feliz com isso. Além disso, dois microfones internos foram adicionados no equipamento, e a câmera FaceTime HD (720p) também está presente, para uma melhor comunicação com o equipamento. O sistema operacional segue sendo o OS X Mountain Lion, e os acessórios atuais para os computadores Mac são compatíveis com o novo iMac.

Mas o principal destaque desse novo iMac está na frase: “mas como ele é fino”. Ele tem apenas 5 mm de espessura de tela, o que é uma espessura 40% menor que a versão anterior. O mais impressionante é que todo o desktop possui linhas refinadas, e mesmo em sua base, que tem uma estrutura mais espessa, ele não é tão grosseiro (visualmente falando), se comparado aos seus concorrentes. Um dos motivos desse ótimo resultado é a nova solução encontrada pela Apple para soldar as peças de sua estrutura, adotando no novo iMac um processo chamado solda por fricção, utilizado normalmente na aeronáutica e na montagem de foguetes. O processo usa uma combinação de calor gerado por fricção intensa, para interligar as moléculas as duas superfícies de alumínio, criando assim uma lida sem emendas, mais precisa e muito resistente.

Particularmente, o novo iMac foi o produto que mais me agradou entre os lançamentos de hoje da Apple. Esse é um produto que efetivamente apresentou algo novo dentro do seu segmento. Alguns podem reclamar sobre a ausência de uma unidade ótica no produto, mas convenhamos: a maioria de nós nem se lembra mais quando foi a última vez que inseriu um CD ou DVD para instalar algum software no computador, e certamente vai ser feliz com esse novo modelo. Por outro lado, essa evolução do iMac prova que a Apple está cada vez mais perto de acabar de uma vez por todas como Mac Pro, abandonado o segmento profissional ou de alta demanda, e se aproximando cada vez mais dos usuários com necessidades mais mundanas.

Preços:

Modelos de 21.5 polegadas, entre US$ 1.299 e US$ 1.499
Modelos de 27 polegadas, entre US$ 1.799 e US$ 1.999

(os valores variam de acordo com as especificações escolhidas)

Via