elemento-premium-metal-meizu

O metal sempre foi considerado como um elemento premium quando utilizado para fabricar o chassi de um smartphone, ou para introduzir detalhes de maior qualidade em um modelo baseado no plástico, como uma borda ou um revestimento nos botões. Porém, sua popularização cresceu com grande rapidez, e o elemento se tornou algo muito comum, que pode ser encontrado em praticamente qualquer dispositivo do mercado atual, inclusive os modelos mais econômicos.

É um fato indiscutível. Basta ver rapidamente os últimos lançamentos entre os modelos acessíveis de marcas como Meizu ou Xiaomi para constatar que temos hoje algo que, há alguns anos, era algo impensável: smartphones com um bom nível de desempenho e acabamento em metal com preços se superam por pouco os US$ 100.

Tudo isso levanta a pergunta que dá título a esse post. Devemos deixar de considerar o acabamento em metal como um elemento premium na fabricação de smartphones?

Antes de responder a pergunta, é preciso fazer uma distinção das coisas.

Samsung Galaxy S7 Edge vs iPhone 6s Plus

A partir da perspectiva da exclusividade, podemos dizer que… sim, o metal deixou de ser o elemento que adicionava um toque de luxo ao smartphone, se transformando em algo típico e habitual, e não sendo mais um diferenciador entre linhas que tinha a alguns anos. Mas isso não quer dizer que ele deixou de ser um elemento premium, em relação à qualidade agregada.

Bem sabemos que um policarbonato de alta qualidade pode ser inclusive mais caro que um chassi de metal, porém, este último material segue adicionando um toque único a qualquer smartphone, transmitindo essa sensação especial ao usuário, deixando o produto mais atraente que os modelos com acabamento em plástico.

Logo, podemos concluir que os smartphones em metal já não são mais um artigo de luxo, com um mercado bem mais democrático que no passado, mas mantém um valor claro dentro do setor.

E você? O que acha de tudo isso?