moça-usando-tablet

Não faz muito tempo que muitos analistas garantiam que estávamos vivendo as últimas horas do PC, ao menos tal e como conhecemos. Argumentavam que os tablets se transformariam em um dispositivo de uso massivo, e que notebooks e destkops seriam relegados ao mundo profissional. Mas o tempo mostrou que (mais uma vez) eles erraram nas previsões, e os últimos dados só mostram que o mercado de tablets estagnou.

O estudo da Forrester Research indica que o principal motivo para não se vender mais tablets é a saturação desse mercado. Quem queria um tablet já comprou um, e sua taxa de renovação é muito menor que a de outros dispositivos, como os smartphones. Até a Apple viu os resultados de vendas do iPad em queda, se obrigando a focar no mundo profissional para a sobrevivência do dispositivo no futuro.

Outra variável importante é o aumento das telas dos smartphones. Em 2010, quando o primeiro iPad foi lançado, um smartphone com 3.5 polegadas de tela era grande. Hoje, 5 polegadas é quase o padrão, e muitos usuários decidiram apostar nos phablets. Quem mais sofre são os tablets de 7 e 8 polegadas (11% dos entrevistados nesse estudo informaram que o seu tablet principal é o seu phablet).

forrester

O gráfico acima compara a base global de tablets instalados (linha escura) com as vendas anuais (linha clara). Ou seja, o mercado começou a estancar-se em 2013, e não há nenhum sinal de recuperação a curto e médio prazo, como se fosse o fim do mercado de tablets.

Já os analistas não decretam o fim dos tablets, mas sim, um período de transformação. O dispositivo é um aliado poderoso para muitos profissionais, e o estudo da Forrester informa que 29% das empresas oferecem tablets aos seus funcionários.

Os últimos movimentos de gigantes como Lenovo, Samsung ou Apple parecem ir para essa direção. E faz tempo que a HP tem claro que o futuro dos tablets está no segmento profissional. Logo, tudo indica que veremos tablets mais potentes, com melhor design e mais caros. O mercado de consumo não deve morrer por conta dos fabricantes chineses, mas eles devem ficar sozinhos, pois os demais devem entender que o segmento deixou de ser um grande negócio.

E para você? Ainda faz sentido comprar um tablet com a oferta atual de phablets? Você continua a usar o seu tablet?

Via Techcrunch

Imagem: Shutterstock