Windows XP

 

O porta-aviões Queen Elizabeth esta concluído. Custou ao Reino Unido um investimento de 4 bilhões de euros, mas tem um pequeno problema: utiliza o Windows XP.

Esse sistema operacional encerrou o seu ciclo de vida em 2014, e desde então não recebe suporte oficial, exceto em casos muito concretos. Logo, é um grande problema ter um veículo de guerra gerenciado por um sistema operacional totalmente obsoleto e abandonado, apresentando falhas gravíssimas de segurança, que podem comprometer a integridade e o correto funcionamento do mesmo.

Michel Fallon, Secretário de Defesa do Reino Unido, quis colocar panos quentes, afirmando que o sistema dos porta-aviões está “devidamente protegido”. Algo difícil de acreditar com a recém renovação do suporte estendido ao Windows XP pelo Reino Unido junto à Microsoft.

 

 

Vários especialistas em segurança se perguntam como foi possível manter um sistema obsoleto em algo tão caro e com vida útil de várias décadas. Já outras fontes oficiais do Ministério da Defesa do Reino Unido reconheceram que manter o Windows XP não foi um boa ideia, e que já trabalham na troca completa dos equipamentos informáticos do Queen Elizabeth, mas que isso pode levar pelo menos uma década.

Aqui, estão basicamente tentando esconder ou maquiar o perigo real que é utilizar um sistema operacional obsoleto em uma arma de guerra.

 

Via Fudzilla