Lasers-to-fight-Alzheimers

O Parkinson e o Alzheimer são duas das piores mazelas da Humanidade, onde a ciência concentra boa parte dos seus esforços para descobrir a cura dessas duas doenças degenerativas do cérebro. E recentes estudos realizados por pesquisadores da Universidade de Tecnologia de Chalmers, em parceria com os membros da Polish Worclaw University of Technology descobriram que é possível utilizar os lasers de multi-prótons para distinguir as massas de proteínas que causam a degeneração cerebral.

Porém, a identificação das proteínas é apenas o primeiro passo desse estudo. O objetivo dos pesquisadores é, no futuro, remover completamente as tais proteínas degenerativas, tarefa essa que é bem complicada de ser realizada nesse momento, mas que eles acreditam que posa ser feito através da terapia fotoacústica. O caminho a ser percorrido para chegar nesse ponto é bem longo, mas a cura do Mal de Alzheimer e do Mal de Parkinson pode estar mais próximas do que se imaginava.

Alzheimers

A minha geração (entre 30 a 40 anos) pode ser a primeira a se beneficiar de forma direta com essa descoberta. É mais ou menos nessa faixa etária que o Mal de Alzheimer começa a se desenvolver na maioria daqueles que possuem essa mazela, onde uma cura já deveria ter sido desenvolvida. Se a pesquisa avançar com uma velocidade maior, não só passa a ser uma opção de tratamento preventivo, mas também uma forma de curar a doença em estágio mais tardio, e impedir que as futuras gerações desenvolvam o Alzheimer.

Quem sabe essa pesquisa não se conclua a tempo de até mesmo curar Michael J. Fox (e, quem sabe, ele faça um novo De Volta Para o Futuro, só para comemorar)?

Via The Verge