O iPhone 5 chegou ao mercado (em mercados selecionados), e seus segredos são desvendados aos poucos. Nesse post, vamos nos focar em um desses mistérios do novo smartphone da Apple: a sua câmera. Apesar de seu sensor indicar até 8 megapixels de resolução, as fotos registradas podem contar com até metade dessa resolução apresentada, graças a um sistema de condensação de dados dos píxels. Ou seja, acredite se quiser, é melhor que seja assim.

O sistema é utilizado para melhorar os recursos da câmera quando ela atua em locais com baixa luminosidade, reduzindo assim a quantidade de ruído presente na foto. A Apple encontrou uma solução para isso, combinando os dados de quatro píxels adjacentes no sensor em um único píxel na imagem final. Esse processo recebe o nome de “dynamic low-light mode” (ou “modo dinâmico com baixa luminosidade”).

Na prática, o sensor da câmera do iPhone 5 é capaz de detectar quando você está em um local com baixa luminosidade, e troca o contexto do sensor para combinar quatro píxels em um, o que faz com que esse píxel conte com uma maior sensibilidade e brilho nesse processo. Ao mesmo tempo, um sistema de redução de ruído compara os píxels vizinhos e identifica qual deles está com o maior nível de ruído. Desse modo, baseando-se no menos distorcido, ele corrige os demais, reduzindo a disparidade entre os píxels, e aumentando a qualidade final da foto.

O Nokia 808 PureView utiliza um sistema de melhoria de imagem semelhante ao do iPhone 5. A diferença é que, no caso do PureView, ele compara um grande número de píxels, chegando a combinar até sete píxels em um, fazendo assim com que um sensor de 41 megapixels transfira essa qualidade toda de imagem para proporções menores, de até 8 megapixels.

Ou seja, não reclame. 4 megapixels são mais que suficientes para você enviar ótimas fotos para o Twitter, Facebook, Flickr, Tumblr ou Instagram.

Via SlashGear