Facebook

 

O Facebook segue arrasando. Um de cada sete usuários de internet no mundo tem uma conta na rede social, que segue adquirindo serviços dos mais diversos, fazendo com que mais pessoas fiquem apegadas ao smartphone com alguma coisa relacionada a algum serviço de Mark Zuckerberg.

De acordo com a Gartner, a tendência é que os usuários baixem menos aplicativos e busque centralizar serviços na menor quantidade possível. Logo, pode ser que o Facebook comece a se transformar em um aplicativo para tudo.

A pesquisa da Gartner entrevistou usuários nos Estados Unidos, China e Reino Unido, e os aplicativos de mensagens instantâneas são os mais utilizados no smartphone, reduzindo o tempo de uso de outros aplicativos.

Além disso, o uso de aplicativos de redes sociais caiu 2% de 2015 para 2016, enquanto que os apps de mensagens instantâneas subiu 3% no mesmo período. Logo, a estratégia do Facebook em eliminar a possibilidade de usar as mensagens a partir do próprio aplicativo e obrigando o uso do Messenger funcionou.

Assim, o Facebook está monopolizando o tempo de uso no smartphone em um aspecto muito importante: a comunicação. De certo modo, segue o exemplo do WeChat na Ásia, que é um fenômeno na China, com mais de 800 milhões de usuários no continente.

 

 

O WeChat é mais do que uma rede social e serviço de mensagens. Ele engloba até sete serviços diferentes, desde compras até pagamentos em estabelecimentos, incluindo serviços de empréstimos de até US$ 30 mil.

Como vemos, a tendência é fazer cada vez menos downloads de aplicativos, e o sucesso do WeChat pode servir de incentivo para que o Facebook repita o mesmo modelo de negócio no ocidente.

O Facebook pode incluir diferentes serviços ao longo do tempo, mas é provável que essa implementação não seja tão rápida como aconteceu na China. Mas provavelmente veremos isso em um futuro muito próximo.

 

Via TechCrunch