Blu-ray 4K HDR

 

Já estamos acostumados a ver a indústria tentar nos empurrar os mesmos conteúdos em formatos melhorados. O último a chegar é o Blu-ray 4K HDR. Mas… será que ele vale mesmo a pena? Ou é apenas mais um formato para subir os preços das mídias?

Deixando de lado toda a confusão do Blu-ray, lançado às pressas e mal finalizado, o novo formato 4K HDR obriga o uso de novos leitores, o que representa um novo investimento dos usuários.

Só aí já justifica a migração para o streaming.

Tal e como aconteceu com os primeiros DVDs e Blu-rays, os primeiros títulos em 4K HDR oferecem resultados variados. Alguns filmes pouco ou nada se diferem do Blu-ray normal, enquanto que outros mostram vantagens reais do novo formato, fazendo a gente desejar que tudo seja assim daqui para frente.

Leve em consideração que não é possível mostrar essas diferenças em uma tela que não é HDR, do mesmo modo que não é possível mostrar uma grande gama de cores em um monitor que não tem essa capacidade.

O vídeo no final do post mostra que o HDR tem um grande potencial, mas é preciso que os filmes tirem proveito disso, e que os preços passem para patamares mais aceitáveis.

O HDCP de proteção do vídeo volta a ser um entrave para o consumidor, obrigando o mesmo a comprar novos equipamentos para visualizarem tais conteúdos, sujeitando os mesmos a bugs.

E isso é algo bem irritante para qualquer pessoa.

Vídeo a seguir.