A nuvem. Este conceito está cada vez mais arraigado no dia a dia dos usuários de tecnologia, ou pelo menos nas nossas vidas online. É cada vez mais comum o envio de arquivos, documentos e fotografias na nuvem para serviços como Dropbox ou iCloud, além de reproduzir músicas ou vídeos através do Spotify, Netflix e outros. Então… por que não o streaming de games? A NVIDIA está disposta a responder esta pergunta com o NVIDIA Grid, que foi apresentado na CES 2013, e pelo conceito, parece ser espetacular.

A NVIDIA foi uma das primeiras empresas a mostrar suas novidades na CES, e teve diversos anúncios interessantes. A começar por um novo e ainda mais potente processador para dispositivos móveis, o novo Tegra 4. Depois, o seu primeiro console portátil, o Project Shield, que é turbinado por um desses processadores, trabalhando em conjunto com um sistema Android no seu estado mais puro. Mas levando em conta a importância que os videogames possuem para essa empresa, eles quiseram ir muito mais além, e para isso, apresentaram o NVIDIA Grid.

Todos os fãs de games já tiveram a desagradável sensação de comprar um novo jogo no Steam (por exemplo), e ao jogar o jogo, se deparar com a mensagem que informa que temos que fazer um download de 12 GB de arquivos antes de começar a jogar. Isso é necessário e lógico, mas ao mesmo tempo, é algo que aborrece, ainda mais na era do Cloud Computing.

O NVIDIA Grid se propõe a acabar com isso de uma vez por todas. Esta nova plataforma oferece a possibilidade de realizar o streaming de jogos que já estão devidamente armazenados e instalados em uma série de potentes servidores da empresa, de modo que o usuário não terá a necessidade de fazer o download de nenhum arquivo, muito menos instalar qualquer tipo de software adicional.

Na teoria, a ideia é simplesmente maravilhosa, e vale a pena destacar que é mais complexa do que parece ao ler esse texto, já que a plataforma abarca tanto o hardware como o software necessário para que o conceito se aplique na prática tal como planejado. Sobre o seu hardware, o NVIDIA Grid terá um hack com nada menos que 20 máquinas. Todas elas somarão um total de 240 GPUs NVIDIA, o que equivale ao potencial de aproximadamente 700 consoles Xbox 360 funcionando simultaneamente.

Para poder acessar o serviço, o usuário terá que fazer o download de um único aplicativo em seu dispositivo, que pode ser um computador, um tablet ou um smartphone, e a partir daí contar com o acesso ao sistema. E esse acesso não é apenas para os jogos, mas também para as partidas salvas, oferecendo a oportunidade de retorno ao jogo em diferentes plataformas. Mais uma vez, vale a pena lembrar que isso tudo será possível sem a necessidade de fazer o download do jogo, já que tudo isso será executado na nuvem.

Por enquanto, não há uma data confirmada de lançamento para o NVIDIA Grid, uma vez que o sistema ainda está em desenvolvimento. O que a NVIDIA garante é que eles vão disponibilizar a SDK do serviço para desenvolvedores, além de fechar acordos com empresas especializadas com os serviços de cloud computing.

Via Gizmologia